Imovirtual. Preço médio de arrendamento sobe 1,74% em setembro

Dados da plataforma Imovirtual apontam uma subida de 1,74% no preço médio de arrendamento no mês passado, para os 1050 euros.

Face ao mês de agosto, o preço médio do arrendamento subiu 1,74% em setembro, passando dos 1032 para os 1050 euros, revela um estudo da plataforma Imovirtual, baseado nos anúncios disponíveis durante esse mês. Os dados divulgados apontam que esta subida representa uma inversão da tendência de decréscimo dos últimos meses.

Sem surpresas, Lisboa continua a liderar a tabela dos distritos mais caros para arrendar casa: em setembro, arrendar uma casa na capital custava, em média, 1355 euros. O Imovirtual indica que, em comparação com agosto, os preços dos anúncios disponibilizados para arrendamento subiram 0,67%, passando dos 1346 para os 1355 euros.

Distritos como Porto e Setúbal também registaram aumentos dos preços médios de arrendamento face a agosto, com preços de 954 euros e 805 euros, respetivamente. Só a Madeira, que também figura na tabela dos locais mais caros para arrendar, escapou a este aumento dos preços médios em setembro.

Já entre os distritos mais baratos para arrendamento contam-se Portalegre, Guarda, Bragança e Castelo Branco, onde os preços médios para arrendar casa variam entre os 310 e os 395 euros. No caso de Bragança, foi mesmo registada uma queda percentual do preço médio de arrendamento na ordem dos 20%.

Preço médio de venda acima dos 339 mil euros

No que diz respeito ao segmento de venda, esta plataforma registou uma ligeira descida de 0,04% no preço das casas em setembro, para os 339 680 euros.

No mês passado, o distrito com o maior aumento de variação percentual de preço face a agosto foi Portalegre, com uma subida de 3,98%. Se em agosto comprar uma casa neste distrito podia custar, em média, 113 469 euros em setembro os preços subiram para os 117 987 euros. Ainda assim, Portalegre é o distrito mais barato do país para comprar casa, à semelhança da Guarda, Castelo Branco ou Beja.

Lisboa continua a ser o distrito mais caro para comprar casa, onde um imóvel podia custar, em média, 536 787 euros. Comparando com os dados de agosto, este plataforma registou uma tendência de recuo de preços na ordem dos 0,49%.

Faro, Madeira e Porto continuam na lista dos mais caros: em setembro uma casa em Faro podia custar até 443 765 euros; na Madeira 315 775 euros e no Porto 306 659 euros.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de