Lisboa perdeu mais de 1500 milhões em investimento imobiliário em 2020

Em média, foram investidos pouco mais de 431 mil euros por operação, uma descida de 12% face a 2019.

O investimento imobiliário na Área de Reabilitação Urbana (ARU) de Lisboa atingiu, no ano passado, 3.744 milhões de euros, uma quebra de 30% face aos 5.320 milhões registados em 2019, avança a Confidencial Imobiliário. Em valor, essa quebra representa 1576 milhões.

Em 2020, foram transacionados 8.706 imóveis na cidade (excluindo as freguesias do Parque das Nações, Lumiar e Santa Clara) transacionados, um recuo de 21% (10.958) quando comparado com o exercício de 2019.

Em média, foram investidos 431.400 euros por operação em 2020, uma descida de 12% face aos 487.700 euros verificados em 2019.

Tendo por base as estatísticas dos últimos cinco anos, "o montante de investimento agora registado apenas supera o de 2016, quando foram contabilizados 3.323 milhões euros", sublinha a Confidencial Imobiliário em comunicado enviado às redações.

Em número de imóveis, 2020 é o ano menos dinâmico destes últimos cinco.

A freguesia de Santo António foi o principal destino do investimento em 2020 (522 milhões de euros), seguida pelas Avenidas Novas (400 milhões), Arroios (356 milhões), Santa Maria Maior (340 milhões), Estrela (307 milhões) e Misericórdia (235 milhões).

Nas restantes freguesias, o investimento ficou abaixo dos 180 milhões de euros, num mínimo de 29 milhões.

A Confidencial Imobiliário destaca que a nota no geral das freguesias em 2020 foi de queda face a 2019.

Os dados foram apurados pela Confidencial Imobiliário e abrangem transações de todo o tipo de imóveis, desde prédios a frações, e inclui os vários segmentos imobiliários, como residencial, comercial, serviços ou terrenos.

Refira-se que a ARU de Lisboa cobre praticamente todo o território da cidade, excluindo as freguesias do Parque das Nações, Lumiar e Santa Clara.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de