World Trade Center em Carnaxide vai custar 120 milhões de euros

Aquele que será um dos maiores centros de negócios do país recebeu esta quinta-feira, 29 de julho, a primeira visita inaugural ao espaço, contando com a presença do COO da Foz Vintage, Vasco Fonseca, e de Isaltino Morais, presidente da Câmara de Oeiras.

Com um total de 70.000 metros quadrados, o espaço vai acolher o primeiro e único World Trade Center de Portugal, em Oeiras, ligando o concelho português a cerca de 90 outros países espalhados por todo o mundo.

A obra, com data de conclusão prevista para o primeiro trimestre de 2022 , terá 25 mil metros quadrados de escritórios, e pretende ser um "workplace orientado para o futuro", sustentando-se na inovação tecnológica, bem-estar dos trabalhadores e na preservação do ambiente. Trata-se de um empreendimento com dois edifícios planeados, incluindo oito pisos acima do solo, pátios exteriores e rooftops.

Para além dos escritórios, o espaço terá ainda áreas especificamente dedicadas ao retalho, comércio e ainda um hotel, com capacidade para 127 quartos e cerca de 800 lugares de estacionamento subterrâneo e 200 no exterior.

Isaltino Morais, presidente da Câmara de Oeiras, parabenizou o projeto que aposta em requalificar e transformar cada vez mais a zona num dos grandes ecossistemas tecnológicos e inovadores do país, apesar da falta de políticas públicas a pensar no reordenamento da área metropolitana de Lisboa como um todo. "Enquanto se continuar com costas viradas uns para os outros e enquanto não se perceber que Oeiras é um prolongamento de Lisboa e que há aqui uma interdependência entre todos estes municípios, não haverá um planeamento comum da área e uns contribuirão sempre mais do que os outros".

Para Vasco Fonseca, COO da empresa responsável pela construção, os três pilares fundamentais sempre foram o "ambiente, a inovação tecnológica e as pessoas", daí que o edifício tenha sido planeado de forma a ganhar as certificações Leed Gold e Well Gold, que destacam os empreendedorismos conscientes do seu impacto no ambiente. Para tal, foram implementados não só carregadores para veículos sustentáveis no estacionamento, como um sistema de reaproveitamento de recursos hídricos e iluminação regulável de acordo com a luminosidade exterior.

"Tudo aqui foi pensado para proporcionar o bem-estar físico e emocional de todos aqueles que aqui convivem", garante a empresa, investindo ainda na construção de espaços exteriores e um ginásio para a promoção de exercício físico, como ainda adotando uma posição pet friendly, permitindo que os animais domésticos circulem livremente em todas as áreas.

Não avançando ainda com nomes, Vasco Fonseca admite que 60% da área de escritórios do lote 2 já está ocupada por inquilinos "de grandes marcas", tanto nacionais como internacionais.

A empreitada, comercializada pelas consultoras imobiliárias Cushman & Wakefield e Worx, custará, no total, cerca de 120 milhões de euros e espera-se gerar ainda mais de 2500 postos de trabalho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de