Empresas

Inapa regista prejuízos de 3,6 milhões em 2018

Inapa

As receitas totais da papeleira diminuíram quase 3% para 860 milhões de euros.

A Inapa, empresa de papel, registou um prejuízo de 3,6 milhões de euros no ano passado. Em comunicado enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a companhia indica que o EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu os 16,5 milhões de euros, o que representa menos 2,8 milhões de euros que em 2017.

As receitas totais da empresa recuaram quase 3% para 860 milhões de euros. A margem bruta total no ano passado foi de 152 milhões de euros e os custos operacionais totais diminuíram 7 milhões de euros face a 2017. A dívida líquida da papeleira no final do ano passado era de 272 milhões de euros, uma redução de 24 milhões de euros.

Diogo Rezende, CEO do grupo Inapa, explica em comunicado enviado às redações que “a queda do consumo, a maior desde a crise de 2009, influenciou, decisivamente, a evolução da nossa atividade. A significativa redução de custos operacionais só compensou parcialmente a redução de vendas e respetiva margem. Ao nível da sustentabilidade, a Inapa registou uma evolução importante com uma redução de 24 milhões de euros da dívida líquida, sendo que a dívida de curto prazo diminuiu 20 milhões de euros ou 29%”

Em relação às perspetivas para este ano, no documento enviado ao regulador do mercado de capitais, a companhia liderada por Diogo Rezende assinala que: “irá prosseguir com uma estratégia de melhoria da rentabilidade através da otimização do product-mix, dinamizando as vendas de produtos de maior valor acrescentado, e de uma política de pricing disciplinada, onde se estima a continuação do aumento na sequência dos aumentos de preços que têm vindo a ser praticados por parte dos fornecedores. Continuaremos a trabalhar para construir uma estrutura flexível com redução do rácio dos custos operacionais em função das vendas, mantendo um especial focos na gestão logística e de distribuição onde ainda estamos a trabalhar em algumas das geografias na implementação do novo modelo definido em 2016″.

Em 2018, a Inapa anunciou um acordo para a aquisição de 100% do capital social da germânica Papyrus Deutschland, cuja operação está ainda sujeita à luz verde da Autoridade da Concorrência alemã. “Esta operação será transformacional para o grupo e irá permitir obter substanciais ganhos de eficiência na Alemanha. Quando concretizada passaremos a deter uma posição de liderança nos dois maiores mercados europeus, Alemanha e França. Esta aquisição fará crescer o nosso volume de negócio em mais de 50%, ficando perto duma faturação anual de €1300 milhões”, indica o CEO do grupo Inapa, em comunicado enviado às redações.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ensino profissional é uma das áreas em que Portugal se posiciona pior na tabela do IMD World Talent Ranking 2019. Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal é 23º no ranking mundial de talento. Caiu seis posições

O ensino profissional é uma das áreas em que Portugal se posiciona pior na tabela do IMD World Talent Ranking 2019. Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal é 23º no ranking mundial de talento. Caiu seis posições

NUNO VEIGA / LUSA

Governo apresentou queixa contra 21 pedreiras em incumprimento

Outros conteúdos GMG
Inapa regista prejuízos de 3,6 milhões em 2018