Bosch

Inovação. Estacionar fora do carro está num futuro perto de si

Home Park Assist: esta aplicação permite estacionar o carro sem estar dentro dele. Fotografia: Bosch
Home Park Assist: esta aplicação permite estacionar o carro sem estar dentro dele. Fotografia: Bosch

Bosch desenvolve aplicações para que possa estacionar o carro na rua e na garagem sem mexer no volante ou tocar nos pedais nos próximos anos

O som fica cada vez mais alto no carro à medida que nos aproximamos da parede. Continuamos a fazer marcha atrás enquanto olhamos para o monitor, com a forma de um tablet, que indica os obstáculos em redor. De repente, o carro trava. “Já batemos!”, pensamos. Não, o barulho é por causa do sistema de travagem de emergência em manobras da Bosch, que evita estragos no nosso carro de demonstração. Tentamos acelerar novamente e o carro não bate no obstáculo.

Este sistema funciona até a uma velocidade de 10 km/h e deixa os obstáculos a 18 centímetros do carro, graças aos sensores instalados no automóvel. Estes toques representam 40% dos acidentes de viação com danos materiais, de acordo com a seguradora Allianz. A aplicação da Bosch é só o primeiro passo para o estacionamento 100% automático, disponível a partir de 2020.

A empresa alemã vai testar este verão o estacionamento conectado em Estugarda, sede da Bosch, com 250 lugares. Os automóveis vão circular na cidade e estacionar em locais públicos. Os sensores da Bosch, a partir desta fase, vão medir e identificar os espaços vazios entre carros.

A informação é, depois, processada para um mapa digital de estacionamento, que vai estar disponível em cloud para os carros que circulem na vizinhança permitindo aos condutores dirigirem-se para os lugares vagos. Uma vez determinada a dimensão do lugar de estacionamento disponível, é também possível procurar espaços para tipos específicos de carros, incluindo até as autocaravanas.

Quantos mais carros participarem no sistema de estacionamento público, mais detalhado e atualizado estará o mapa. A Bosch, por isso, vai gerir esta aplicação em plataforma aberta, permitindo a participação do maior número de construtores. Garante ainda a proteção dos dados dos automóveis, que vão ser anónimos e não vão poder ser registados pelo número de identificação do veículo (VIN, na sigla original).

Esta solução permite poupar tempo e emissões, dado que a procura de um lugar para estacionar costuma demorar, em média, 10 minutos na Alemanha, além de obrigar os condutores a fazer cerca de 4,5 quilómetros. Encontrar um local para estacionar custa 1,35 euros e representa 1,3 quilos de emissões de emissões de dióxido de carbono por quilómetro. Isto representa 30% do tráfego das cidades.

Bosch (sem fios) é Bom para Vhils

A Bosch, na segunda fase, quer fornecer às marcas automóveis o estacionamento parcialmente automático, tanto para a rua como para a garagem lá de casa. Para 2019 está prevista a produção em série do assistente para o estacionamento em casa. Em Estugarda pudemos experimentar esta ferramenta.

Abrimos a aplicação Park Assist e treinámos o carro para estacionar o automóvel num local com um sensor. Este treino tem de ser feito à entrada da garagem, com o carro guiado pelo condutor. Depois de estacionar, a informação fica registada em sistema. Há 10 configurações possíveis.

A magia acontece a seguir: depois da lição, o sistema estaciona o carro sozinho. Saímos do carro à entrada da garagem e passamos a controlar tudo através do smartphone, que tem uma aplicação própria. O automóvel só se mexe, até 7 km/h, se pressionarmos o botão de segurança. O carro repete as instruções gravadas antes, mesmo quando queremos tirá-lo da garagem.

A empresa alemã tem atualmente 2500 engenheiros a trabalhar em sistemas de apoio ao estacionamento, que já estão em utilização em metade dos automóveis em circulação.
No ano seguinte, em 2020, a Bosch quer assumir a gestão ativa de parques de estacionamento, em parceria com as empresas responsáveis por estes serviços.

Isto vai fazer com que possamos deixar o carro à entrada do parque e, a partir daí, deixá-lo estacionar sozinho, como se estivesse a ser guiado por um concierge (arrumador). Assim que o carro estiver parado no lugar certo, o utilizador recebe a indicação do local com uma mensagem na aplicação. A Bosch quer, até à produção em série, melhorar a inteligência do sistema, para que possa evitar as pessoas que estejam a circular dentro do parque de estacionamento.

As aplicações desenvolvidas para o estacionamento vão acompanhar a evolução dos automóveis nos próximos anos. A Bosch quer liderar esta indústria, que deverá lidar com novos intervenientes, como a Google e a Apple. Ver carros a conduzirem-se nas autoestradas e a encontrarem rapidamente um lugar para estacionar sem perder tempo e dinheiro não é um futuro distante.

Jornalista em Estugarda a convite da Bosch Portugal

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Centeno mantém crescimento de 1,9% este ano. Acelera para 2% no próximo

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: José Sena Goulão/Lusa

Dívida pública desce mais devagar do que o previsto

desemprego Marcos Borga Lusa

Taxa de desemprego nos 5,9% em 2020. A mais baixa em 17 anos

Outros conteúdos GMG
Inovação. Estacionar fora do carro está num futuro perto de si