mobilidade

Intel investe 250 milhões em veículos autónomos

Intel quer ajudar setor automóvel a gerir 4 terabytes de dados que serão gerados diariamente por cada veículo.
Intel quer ajudar setor automóvel a gerir 4 terabytes de dados que serão gerados diariamente por cada veículo.

Maior integração de dispositivos e veículos de condução autónoma aproximam setor das tecnologias e dos transportes.

A tecnológica californiana Intel anunciou, ontem, que vai investir 250 milhões de dólares (233 milhões de euros) nos próximos dois anos em veículos de condução autónoma. A aposta da empresa será focada em conetividade, informação de contexto, inteligência artificial e segurança.

O anúncio foi feito pelo CEO da Intel, Brian Krzanich, durante o Auto Show de Los Angeles, onde explicou que os automóveis já incluem, hoje em dia, uma série de sensores, câmaras e outros sistemas que criam, reúnem ou transmitem informação. Só falta a indústria automóvel preparar-se para lidar com 4 terabytes de informação que será gerada por cada veículo e por dia.

No dia a anterior a este anúncio da Intel, a Samsung tinha anunciado a compra da Harman International com o objetivo de entrar no negócio dos automóveis do futuro. As empresas tecnológicas estão a posicionar-se para entrar, assim, no setor dos transportes graças à cada vez maior integração de dispositivos e veículos, seja na área das bicicletas partilhadas ou transporte público, seja nos automóveis do futuro.

A aproximação dos dois setores tem sido crescente e, segundo a imprensa norte-americana, no último CES 2016 – um dos maiores eventos de eletrónica de consumo em Las Vegas – também estiveram presentes representantes dos principais fabricantes de automóveis. O próximo grande evento que juntará automóveis e tecnologia está marcado para janeiro de 2017, no primeiro Automobili-D, um evento dedicado à inovação na mobilidade.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fernão de Magalhães

Quem pagou a expedição planetária de Magalhães? Um investidor vindo de Portugal

Fernão de Magalhães

Quem pagou a expedição planetária de Magalhães? Um investidor vindo de Portugal

Maria João Gala / Global Imagens

Centeno aponta margem de 200 milhões para aumentos na Função Pública

Outros conteúdos GMG
Intel investe 250 milhões em veículos autónomos