Prémio Inovação NOS

Inteligência artificial gera produtividade

A carregar player...

Plataforma digital mapeia atividades das empresas, gerindo melhor os recursos humanos e a distribuição de tarefas.

Aumentar a produtividade das empresas foi o que esteve sempre em mente na equipa que criou o Evalyze. Esta plataforma, que existe no mercado há sensivelmente três anos, valeu à sua detentora – a Closer – a presença nas 30 finalistas do Prémio Inovação NOS, na categoria de Pequenas e Médias Empresas.

O Evalyze é uma plataforma de gestão de operações que recorre a algoritmos de inteligência artificial para automatizar e otimizar a distribuição, priorização e monitorização de atividades numa dada empresa. Todo este processo “tem como principal objetivo o aumento da produtividade. E na maioria dos casos das operações que já foram implementadas os resultados alcançados foram de um aumento de produtividade superior a 30%”, garante Woitek Szymankiewicz, líder do projeto.

Na prática, esta nova ferramenta vem assegurar uma melhor gestão das tarefas a realizar nas mais diversas operações empresariais. Com ela beneficia toda a equipa de gestão, os coordenadores, os supervisores, os colaboradores e, em última instância (sem deixar de ser talvez a mais importante deste ciclo), o cliente. “É fundamental automatizar de forma inteligente a distribuição dos processos de trabalho das empresas, sobretudo se forem de grande dimensão. Só assim é possível distribuir as tarefas certas pelas pessoas certas, em função daquilo que é importante para a firma em causa. É para isso que se utiliza o algoritmo de inteligência artificial”, explica.

Embora esta componente tecnológica seja uma das principais características do Evalyze, associou-se uma outra que é a verdadeira inovação desta plataforma. É uma componente de conceito. “A forma como fazemos a distribuição e entrega é inovadora e faz que a ferramenta tenha tanto sucesso”, diz Woitek. “Nós aplicamos a filosofia do front office dos contact centers à do back office dos nossos clientes (entenda-se por departamentos onde se tratam processos de trabalho) e isso é algo único no mercado.”

Ao aplicar a filosofia do front office neste contexto, consegue-se garantir que é entregue de forma automática a tarefa mais relevante, sendo que isso beneficia diretamente o consumidor final. “A relevância muitas vezes está diretamente ligada aos tempos de resposta ao cliente e à qualidade do serviço prestado. Naturalmente a ociosidade é reduzida e as ineficiências são eliminadas. Ao mesmo tempo, a plataforma monitoriza todas as interações nos processos e equipas, disponibilizando essa informação através de relatórios à equipa de gestão em tempo real. Assim, à semelhança do que já é o front office hoje em dia, o back office torna-se totalmente transparente e otimizado.”

O aumento da produtividade é de facto a grande vantagem deste projeto. Mas outras lhe estão associadas. “Se houver produtividade, os prestadores de serviços que instalem esta ferramenta conseguem mais competitividade para os seus clientes. Por outro lado, podem reduzir ou redistribuir equipas para fazer mais com menos recursos”, explica este sócio da Closer.

O Evalyze já está em funcionamento no Brasil (onde foi lançado), em Portugal e na Macedónia.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Inteligência artificial gera produtividade