Interregional do Douro só com carruagens históricas a partir de julho

CP quer atrair mais turistas para a região do Douro Vinhateiro com carruagens da década de 1940 recuperadas em Guifões e que têm janelas amplas.

A CP vai reforçar a aposta no mercado turístico na linha do Douro a partir de meados de julho. Os oito comboios interregionais diários entre Porto e o Pocinho vão passar a ser realizados em exclusivo com carruagens Schindler, da década de 1940. Isto vai libertar material para linhas não-eletrificadas como o Oeste, Alentejo e Algarve.

As carruagens Schindler estão a ser renovadas nas oficinas de Guifões e têm janelas amplas para contemplar a paisagem do Douro Vinhateiro. Até lá, a ligação Porto-Pocinho só irá contar com aquele material em quatro interregionais – nos outros quatro, vão circular as automotoras a gasóleo UTD 592, alugadas à espanhola Renfe.

Em meados de julho, haverá 11 carruagens Schindler a circular “e que podem ser adaptadas conforme a procura e evitar a aglomeração de pessoas que vinham usufruir da região”, assinalou na quarta-feira o presidente executivo da CP, Nuno Freitas.

O responsável garante mesmo que as carruagens renovadas têm melhores condições do que o material alugado. “Na semana passada, estavam 34 graus na Régua e era mais confortável viajar nas carruagens Schindler, com janelas e ventilação natural, do que nas automotoras a Diesel climatizadas”, exemplificou.

Há atrasos, no entanto, na recuperação das 19 carruagens Schindler que estavam encostadas no Entroncamento. O processo deveria ficar concluído até ao final de setembro. Só que “a descoberta de amianto em algumas das carruagens e o novo coronavírus” adiaram a conclusão desta empretada para o final deste ano. A recuperação de cada carruagem custar 100 mil euros; a preços de mercado, cada unidade vale 700 mil euros.

A recuperação do material para a linha do Douro está incluída no plano de investimento da CP, apresentado em junho do ano passado e cuja primeira fase estará concluída até ao final deste ano. Do plano do Governo para a transportadora também faz parte a renovação locomotivas diesel e elétricas e de automotoras.

As sete locomotivas elétricas da série 2600 serão totalmente renovadas até ao final deste ano e vão servir para a linha do Minho, assim que ficar concluída a eletrificação do troço até Valença.

Três locomotivas a gasóleo da série 1400 já foram intervencionadas e mais duas serão recuperadas nos próximos meses.

Há ainda oito automotoras para a linha de Sintra que deverão ficar prontas ainda neste ano, embora ainda possa “haver algum atraso”. Este material estava “carregado de peças avariadas”, sobretudo na área da eletrónica. Foram ainda recuperadas 4 das 14 carruagens Sorefame para o serviço de longo curso.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de