Telecomunicações

IP Telecom será responsável pela gestão dos cabos dos Açores e Madeira

Fotografia: D.R.
Fotografia: D.R.

Presidente da Anacom diz ter a confirmação que o Governo irá em breve decidir relativamente aos cabos que garantem comunicações com Açores e Madeira.

A IP Telecom vai ser responsável “pela gestão dos cabos submarinos” que ligam as regiões dos Açores e da Madeira, anunciou João Cadete de Matos, presidente da Anacom, na comissão parlamentar de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, requerida pelo Bloco de Esquerda para falar sobre concorrência no setor das telecomunicações e consequências na implementação do 5G.

Em maio de 2109 o Governo criou um grupo de trabalho, presidido pela Anacom, para analisar a substituição dos cabos submarinos que ligam Portugal Continental às ilhas da Madeira e Açores e apresentar uma proposta de “configuração técnica e financeira mais adequada” para a substituição destas infraestruturas que atingem a sua vida útil em 2024-2025.

O Governo, anunciou o presidente da Anacom, prepara-se para tomar uma decisão sobre o tema. O Executivo “terá aceitado uma das recomendações do grupo de trabalho relativamente à existência de um operador público responsável pela gestão dos cabos submarinos”, adiantou João Cadete de Matos.

“É essencial para que seja um operador grossista neutro, que assegure a qualidade do funcionamento” e os preços competitivos para que os Açores e Madeira “não tenham nenhuma discriminação quer quanto às ofertas, para que exista concorrência, quer quanto às capacidades” dos cabos submarinos, defendeu.

O presidente da Anacom diz ter a confirmação do ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, que o “Governo irá com muita celeridade tomar uma decisão relativamente às recomendações que foram feitas” pelo grupo de trabalho.

“O senhor ministro, a informação que me deu, é que essa decisão estará iminente e que a empresa IP Telecom será responsável, de acordo com decisão do Conselho de Ministros, pela gestão dos cabos submarinos”, revelou.

Uma “boa notícia”, considera. “Estou confiante que se comece energicamente” a trabalhar nisso, referindo que a informação que dispõe é que tal acontecerá “nos próximos dias”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Presidente do Conselho de Finanças Públicas (CFP), Nazaré da Costa Cabral. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Linhas de crédito anti-covid ainda podem vir a pesar muito nas contas públicas

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

Apoio a rendas rejeitado devido a “falha” eletrónica

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Só 789 empresas mantiveram lay-off simplificado em agosto

IP Telecom será responsável pela gestão dos cabos dos Açores e Madeira