internacionalização

ISQ entra no mercado asiático e abre delegação no Cazaquistão

ISQ - Cria nova empresa no Cazaquistao

O ISQ quer expandir-se para o mercado internacional e criar sinergias entre as competências do grupo e as áreas em expansão naquele país.

O Grupo ISQ continua a internacionalizar-se e agora é a vez do mercado asiático, com a abertura de uma delegação no Cazaquistão. Para o Presidente do ISQ, Pedro Matias, este “salto de gigante” poderá permitir colocar as competências do grupo, ao serviço de áreas em expansão naquele país, tais como infraestruturas, gás natural, energias renováveis e mineração.

“O Cazaquistão é um país moderno e sofisticado e que tem mostrado uma pujança económica muito interessante. Há vários projetos de investimento a decorrer no país e para os quais podemos ser parceiros nas nossas áreas de competência”, explica o Presidente do ISQ, Pedro Matias.

O Cazaquistão exporta trigo, produtos têxteis e pecuária, sendo um dos 50 países mais competitivos do mundo, mantendo a posição no Relatório de Competitividade do Fórum Económico Mundial.

O Cazaquistão tem uma das mais fortes economias da Ásia Central, impulsionada pelo aumento da produção e dos preços do petróleo. Em 2017, Astana acolheu a Expo Astana 2017, onde estiveram em exposição as mais modernas tecnologias e inovações do mundo. O país asiático tem um porto aeroespacial, o cosmódromo de Baikonur, por isso o mercado aeroespacial é um dos mercados na mira do ISQ.

O grupo de Engenharia, Certificação e Consultoria (ISQ) está presente em 20 países, tem 1400 colaboradores, 800 em Portugal e 600 espalhados por todo o mundo.

“O que fazemos em Portugal e no mundo e que é reconhecido como de excelência podemos fazer também no Cazaquistão e mesmo na região da Eurásia”, remata Pedro Matias.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
mulher gravida

Não renovação de contratos com grávidas cresce 15%

mulher gravida

Não renovação de contratos com grávidas cresce 15%

Angel Gurria, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Mario Guzmán

OCDE mais pessimista. Sinais vermelhos para a economia

Outros conteúdos GMG
ISQ entra no mercado asiático e abre delegação no Cazaquistão