ISQ ganha contrato de 2,7 ME em projeto europeu de fusão nuclear

O grupo ISQ ganhou um contrato de 2,7 milhões de euros no âmbito do F4E ('Fusion for Energy'), um organismo da União Europeia, para um projeto que pretende atingir a próxima fase da energia nuclear, segundo um comunicado.

O objetivo deste projeto é "cooperar com a indústria e entidades de investigação no desenvolvimento e fabrico de componentes de ponta para o projeto de energia de fusão ITER, o maior investimento científico da atualidade".

O contrato terá a duração de quatro anos e irá arrancar em dezembro.

Segundo a mesma nota, o projeto ITER "é uma experiência destinada a atingir a próxima fase na evolução da energia nuclear, como meio de gerar eletricidade isenta de emissões".

"Em condições laboratoriais, são reproduzidas as reações de fusão nuclear que ocorrem no interior das estrelas (ex: sol), num processo denominado nucleossíntese estelar, podendo vir a ser uma das tecnologias do futuro para a geração de energia elétrica renovável, limpa e mais barata", explicou José Figueira, administrador do grupo ISQ, citado no comunicado.

O ISQ irá "realizar ensaios destrutivos e não destrutivos a materiais e 'mock-ups' que serão utilizados no reator nuclear experimental do ITER", segundo o José Figueira.

Estes ensaios irão decorrer no laboratório de ensaios especiais do ISQ, no laboratório de materiais - LABMAT e ainda no laboratório de ensaios não destrutivos -- LABEND da organização, de acordo com o comunicado.

O ISQ revelou ainda que, além deste contrato, tem a decorrer "outros projetos de grande relevância" com o projeto ITER/F4E. "É o caso da inspeção dos componentes que estão ser construídos para o reator nuclear a ser instalado em Cadarache (França), contando para tal com uma equipa de 20 inspetores espalhados por diversos países europeus e na China, que asseguram que os componentes fabricados cumprem com os requisitos de qualidade", indicou o grupo.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de