Automóvel

Itália quer liderar vendas de carros elétricos com mega pacote de ajudas

(REUTERS/Denis Balibouse)
(REUTERS/Denis Balibouse)

O país onde nasceu o grupo Fiat quer colocar um milhão de carros elétricos nas ruas até 2022. Incentivos podem chegar a 8,6 mil milhões de euros.

A Itália quer sair da cauda do mercado de carros elétricos na Europa e está disposta a gastar muito dinheiro para isso. O Governo de coligação entre a Liga do Norte e o Movimento Cinco Estrelas está a preparar um pacote de incentivos para a aquisição destes automóveis que poderá custar até 10 mil milhões de dólares (8,6 mil milhões de euros).

O país onde nasceu o grupo Fiat quer colocar um milhão de carros elétricos nas ruas até 2022. Não diz, no entanto, se esta meta também pode incluir automóveis híbridos, adianta esta segunda-feira a Bloomberg. Esta medida está prevista no programa de Governo, que refere a “redução dos carros a gasóleo e gasolina” e a “introdução de incentivos para apoiar a compra de carros elétricos e híbridos”.

A concretização deste plano poderá levar Itália à liderança do mercado de carros elétricos nos próximos anos. Atualmente, o país tem a quota mais baixa de venda deste tipo de veículos: 0,199%, segundo os dados de 2017 da ACEA, associação europeia que representa as marcas automóveis. A quota de mercado de Portugal é de 2,397%, segundo a mesma fonte, que inclui nestes dados as vendas de veículos híbridos.

Leia aqui: Vendas de carros a gasóleo caem 7,7% num ano

O Governo italiano, se quiser alcançar esta meta, terá de contar com a ajuda de algumas das maiores empresas nacionais, como a ENEL e o grupo Fiat.

A elétrica ENEL prevê investir entre 100 e 300 milhões de euros para instalar 14 mil postos de carregamento em todo o país até 2022. Meta desafiante, segundo a empresa: “desenvolver uma rede pública é muito mais complicado do que estávamos à espera. Sem orientações e uma visão claras do Governo, iremos ficar numa jaula”, assume Francesco Venturini, o líder da unidade de negócio dedicada aos carros elétricos.

O investimento de nove mil milhões de euros em carros elétricos do grupo Fiat, até 2022, também poderá ajudar a cumprir as metas do Governo italiano.

A legislação das emissões poderá dar também uma ajuda suplementar: os carros a gasóleo não poderão circular no centro de Roma a partir de 2024 e a cidade de Milão também já está a preparar um plano semelhante. Resta saber se o plano do Governo terá a adesão popular necessária para ter sucesso.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

BCP

BCP propõe distribuir 30 milhões em dividendos

Miguel Maya, CEO do Millennium Bcp.
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Lucro do BCP sobe mais de 60% para 300 milhões em 2018

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Itália quer liderar vendas de carros elétricos com mega pacote de ajudas