Prémio Inovação NOS

IVO avança para análise de risco setorial

IVO

Plataforma que ajuda a avaliar viabilidade financeira das ideias de negócio vai dedicar-se, para já, ao setor agroalimentar.

Os clientes da IVO têm sido sobretudo trabalhadores por conta de outrem que querem lançar a sua ideia de negócio e procuram ajuda nesta plataforma online para avaliarem o risco do negócio. O número de utilizadores tem estado em crescimento, o que se refletiu na faturação alcançada no ano zero da startup, que foi finalista do Prémio Inovação NOS no ano passado.

“As receitas atingiram 50 mil euros em 2017 e a expectativa é que neste ano “mais do que dupliquem”, diz David Mota, um dos cofundadores da IVO, cujas iniciais significam Investimento Validado Online.
Como a empresa está a correr bem, está já a trabalhar no próximo passo, que é a especialização por setores de atividade, ou seja, adaptar a plataforma às necessidades específicas de algumas indústrias, adianta o responsável.

Para já, o setor agroalimentar já está escolhido. A plataforma terá passos, perguntas e conclusões com uma abordagem mais dedicada a este setor. “Começamos pelo agroalimentar porque tem sido o driver do nosso crescimento por todo o país. Há um crescente interesse de clientes desta área na nossa plataforma, com as ideias de negócio mais variadas”, diz David Mota.

A segunda área de especialização ainda está a ser estudada, mas deverão ser empresas tecnológicas ou pequenos negócios. “Há uma tendência clara para abrir negócios de cariz tecnológico, mas também de setores tradicionais ligados a ofícios como designers ou arquitetos, que queiram abrir pequenos gabinetes em nome individual. São negócios ligados a profissões liberais. Estamos ainda a decidir qual vamos escolher”, diz o responsável.

São, muitas vezes, pessoas que trabalham por conta de outrem e vão lançar-se no desconhecido. “Querem dar passos firmes, conhecer melhor os números dos negócios para os quais se propõem. Procuram segurança financeira na nossa plataforma.”

Depois de passar pelos vários passos da plataforma e de responder a uma série de perguntas, a pessoa fica com uma ideia mais precisa dos fatores controláveis: investimentos que devem ser feitos para começar a atividade, quais os custos obrigatórios, quanto tem de vender para cobrir esses custos e evitar o prejuízo, etc. No final tem uma espécie de semáforo verde, amarelo ou vermelho que lhe indica o nível de risco e qual a probabilidade de sucesso do projeto.

A maioria dos clientes da IVO são incubadoras e novos negócios privados ou inseridos em câmaras municipais, com os quais são feitos contratos. Depois há ainda os empreendedores que têm ideias de negócio e se registam na plataforma com licenças individuais.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Miradouro do Alvito. Marca única de autocarros abrange toda a Área Metropolitana de Lisboa.
( Jorge Amaral / Global Imagens )

Medina quer marca única para os autocarros da Área Metropolitana de Lisboa

O furo da Herdade da Comporta será decidido dentro de dias.  Fotografia: D.R.

Comporta. Só o consórcio Amorim/Berda apresentou proposta

Ponte 25 de Abril

Ponte 25 de Abril: Consórcio da Somague vence obra de 12,6 milhões

Outros conteúdos GMG
IVO avança para análise de risco setorial