retalho

Jerónimo Martins aprova dividendo bruto de 60,5 cêntimos por ação

Pedro Soares dos Santos, presidente da Jerónimo Martins. Fotografia: Orlando Almeida/Global Imagens
Pedro Soares dos Santos, presidente da Jerónimo Martins. Fotografia: Orlando Almeida/Global Imagens

Os acionistas da JM reunidos em assembleia-geral anual aprovaram a distribuição de um dividendo bruto de 60,5 cêntimos por ação

Os acionistas da Jerónimo Martins, reunidos em assembleia-geral anual, aprovaram esta quinta-feira a distribuição de um dividendo bruto de 60,5 cêntimos por ação, excluindo as ações próprias em carteira, divulgou a dona do Pingo Doce.

“O pagamento do dividendo ocorrerá no próximo dia 4 de maio de 2017, sendo que as ações passarão a ser transacionadas sem direito ao mesmo dois dias úteis antes dessa data”, refere a Jerónimo Martins, em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

As propostas relativas aos pontos de ordem de trabalhos foram aprovadas, o que inclui o relatório de gestão e as contas do exercício do ano passado, bem como a proposta de aplicação de resultados.

No ano passado, a Jerónimo Martins registou um lucro consolidado de 593.218.203,38 euros e um lucro nas contas individuais de 350.645.129,42 euros.

Na reunião foi ainda aprovado um “voto de apreço, reconhecimento e confiança ao Conselho de Administração e a todos e a cada um dos seus membros e, muito em particular, ao seu presidente, bem como à comissão de auditoria e a todos e cada um dos seus membros”, refere a empresa liderada por Pedro Soares dos Santos, no comunicado.

Foi ainda designado o novo Revisor Oficial de Contas até ao final do triénio em curso (2016-2018).

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

O empresário Joe Berardo à chegada para a sua audição perante a II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

A “golpada”, a falta de património e o risco todo no lado da CGD

Luís Castro Henriques .
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)

Luís Castro Henriques: “Portugal já não é um país de burocratas”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Jerónimo Martins aprova dividendo bruto de 60,5 cêntimos por ação