Jerónimo Martins

Jerónimo Martins expande marca Hebe para Eslováquia e República Checa

Hebe
A cadeia de lojas Hebe está presente na Polónia, mas a Jerónimo Martins prepara a expansão.

A cadeia de lojas de cosmética Hebe irá ultrapassar as fronteiras da Polónia, garante a Jerónimo Martins.

A cadeia de lojas de cosmética Hebe irá ultrapassar as fronteiras da Polónia, garante a Jerónimo Martins. Aposta na loja online, feita no ano passado, foi bem sucedida, indica o grupo.

No ano passado, a Jerónimo Martins apostou no lançamento da loja online da marca Hebe. Na conferência de imprensa de apresentação de resultados de 2019, Pedro Soares dos Santos referiu que, no ano passado, a cadeia de lojas de saúde e beleza na Polónia “cumpriu a sua missão de atingir o break even”. No ano passado, esta unidade de negócio gerou 259 milhões de euros em vendas para o grupo Jerónimo Martins, através das lojas físicas e do recente canal online.

Sobre o negócio da saúde e beleza, Pedro Soares dos Santos reconhece largas diferenças em relação ao core do grupo. “É um negócio que não tem nada a ver com o retalho alimentar, é totalmente diferente, mas há algo em comum: as promoções.”

Com a loja online da Hebe inaugurada no verão, que se juntou às 43 novas lojas do ano passado, a marca prepara-se para a expansão nos países vizinhos. Os destinos já estão escolhidos: República Checa e Eslováquia.

O líder do grupo Jerónimo Martins não avança números ligados à expansão da Hebe, mas justifica a escolha com a proximidade: “fazem fronteira com a Polónia”. Embora o grupo avance que está preparado para a abertura de lojas em novos países, a empresa não especifica qual o número de lojas que pretende abrir em cada uma das localizações. No total, em 2020 estão previstas a abertura de 50 lojas da Hebe, contabilizando os três países.

Um dos pontos de partida para esta expansão terá sido mesmo o canal de e-commerce, elucida o responsável. “Quando estamos no online não estamos só num único país”, indica, avançado que a loja online da Hebe recebe “1,2 milhões de utilizadores mensais”.

De acordo com a Jerónimo Martins, o canal online gera maiores receitas de vendas do que os espaços físicos da Hebe: “a média de compra do online é sempre muito superior”.

Em 2017, o grupo Jerónimo Martins investiu dez milhões de euros na cadeia de lojas Hebe. Além da Hebe, o grupo é dono da cadeia de lojas Pingo Doce, Recheio, Ara (na Colômbia) e Biedronka (na Polónia).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

1400 empresas já pediram para aderir ao novo lay-off, apoios só a 28 de abril

Antonoaldo Neves, presidente executivo da TAP. Fotografia: Adelino Meireles/Global Imagens

TAP também vai avançar com pedido de layoff

Veículos da GNR durante uma operação stop de sensibilização para o cumprimento do dever geral de isolamento, na Autoestrada A1 nas portagens dos Carvalhos/Grijó no sentido Sul/Norte, Vila Nova de Gaia, 29 de março de 2020. MANUEL FERNANDO ARAÚJO/LUSA

Mais de 80 detidos e 1565 estabelecimentos fechados

Jerónimo Martins expande marca Hebe para Eslováquia e República Checa