aviação

Joon. Nova companhia francesa substitui Air France em Portugal

JOON_LIVREE_A350_900x700

Companhia francesa é substituída a partir de Dezembro pela Joon

Os aeroportos portugueses vão deixar de receber aviões da Air France. A partir de Dezembro, a companhia francesa será substituída em Lisboa e no Porto pela nova marca do grupo, a Joon.

A mudança faz parte da estratégia da Air France, que tem como objectivo captar um público mais jovem com a criação da nova marca.

“Isto não significa que a marca Air France desapareça de Lisboa. Cerca de 50% dos voos da Air France provenientes de Lisboa são voos de ligação. E os voos da Joon serão comercializados sob a marca comercial da Air France, que vai continuar a ser uma marca forte em Portugal”, sublinhou Jean-Michel Mathieu, diretor geral da Joon, em declarações aos jornalistas durante a conferência de apresentação da nova marca que teve lugar esta segunda-feira em Paris.

O responsável garante que em Lisboa a frequência dos voos vai manter-se, com 28 ligações por semana. A companhia espera ainda assim um aumento de passageiros entre 7% e 10%, uma vez que o modelo da Airbus que vai operar pela Joon tem uma capacidade superior aos actuais aviões da Air France.

No caso do Porto, a novidade é que a Joon vai passar a operar durante todo o ano na cidade, com três ligações semanais. A atual operação da Air France para a Invicta é sazonal, com voos apenas durante o verão.

Os voos da Joon já estão à venda por um preço mínimo de 39 euros.

A troca da Air France pela Joon também vai acontecer em Berlim e em Barcelona, as outras duas rotas operadas pela Joon.

Jean-Michel Mathieu não descarta alargar a operação da Joon a outros aeroportos portugueses, “caso surja uma boa oportunidade”, e promete a apresentação de novos destinos para “breve”.

Para já estão garantidos voos para Fortaleza, no Brasil, e Mahé, nas ilhas Seychelles, a partir de março do próximo ano.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mário Centeno ladeado pelos representantes dos dois maiores credores de Portugal: Pierre Moscovici (Comissão) e Klaus Regling (ESM). Fotografia: EPA/JULIEN WARNAND

Centeno usa verbas da almofada de segurança para pagar aos credores europeus

Paulo Fernandes lidera o grupo Cofina. (Carlos Manuel Martins/Global Imagens)

Foto: Arquivo

Cofina quer TVI sem remédios

Paulo Fernandes lidera o grupo Cofina. (Carlos Manuel Martins/Global Imagens)

Foto: Arquivo

Cofina quer TVI sem remédios

Outros conteúdos GMG
Joon. Nova companhia francesa substitui Air France em Portugal