Telecomunicações

Justiça portuguesa aprova pedido de recuperação da Oi Móvel

Fotografia: Nacho Doce/Reuters
Fotografia: Nacho Doce/Reuters

A Justiça portuguesa reconheceu a decisão que aprovou o pedido de recuperação judicial da Oi Móvel, informou hoje a Pharol à CMVM

A Justiça portuguesa reconheceu a decisão que aprovou o pedido de recuperação judicial da Oi Móvel, empresa do Grupo Oi, no Brasil, informou hoje a Pharol em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A Pharol (antiga PT SGPS), que detém cerca de 27% da Oi, divulgou a informação da operadora brasileira, que afirmou ter tido conhecimento na segunda-feira “de sentença proferida em 09.08.2017 pelo Juízo de Comércio de Lisboa — Juiz 5 do Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa, por meio da qual foi reconhecida, com relação à Oi Móvel S.A. — Em Recuperação Judicial, a decisão que deferiu o processamento do pedido de recuperação judicial formulado no Brasil”.

Em 30 de junho de 2016, a Justiça do Rio de Janeiro aceitou o pedido de recuperação judicial da operadora de telecomunicações brasileira Oi, que não conseguiu negociar um total de 65,4 mil milhões de reais (19,6 mil milhões de euros) em dívidas.

O deferimento foi dado ao pedido apresentado pelo Grupo Oi, composto pelas empresas Oi, Telemar Norte Leste, Oi Móvel, Copart 4 e 5 Participações, Portugal Telecom e Oi Brasil.

Em 26 de janeiro, a operadora brasileira iniciou um programa para tentar chegar a um acordo com as empresas constantes da lista de credores.

O prejuízo da Oi aumentou para 3,5 mil milhões de reais (950 milhões de euros) no primeiro semestre deste ano.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral Depósitos CGD Juros depósitos

Créditos ruinosos da Caixa nas mãos do Ministério Público

A330-900 neo

A330 neo. Associação de pilotos quer ouvir especialistas na Holanda

Greve de motoristas de matérias perigosas parou o país, em abril. 
(MÁRIO CRUZ/LUSA

Nova greve dos camionistas dia 12. Pré-aviso já foi entregue

Outros conteúdos GMG
Justiça portuguesa aprova pedido de recuperação da Oi Móvel