transportes

Klog reforça ligação ferroviária à Catalunha

A Klog vai apostar no transporte de produtos farmacêuticos. Fotografia:  Pedro Granadeiro/Global Imagens
A Klog vai apostar no transporte de produtos farmacêuticos. Fotografia: Pedro Granadeiro/Global Imagens

A transportadora portuguesa faturou, no ano passado, 52 milhões de euros.

A Klog, empresa portuguesa de transportes e logística, vai reforçar este ano a ligação ferroviária de mercadorias à Catalunha. Grupos como o Ikea, Continental, Protec & Gamble, Saint-Goban e Volkswagen contam-se entre os clientes deste corredor ferroviário, que a partir de setembro terá quatro saídas semanais de Portugal para a região espanhola. Segundo José Cardoso, acionista e administrador da transportadora, a utilização do comboio, que transporta o equivalente a 30 camiões de carga, é “competitiva” e “permite às empresas reduzirem a pegada de carbono”, ou seja, a pegada que a atividade produz, nomeadamente emissão de CO2 e outros gases poluentes para a atmosfera.

A empresa vai também apostar este ano no segmento ‘pharma’, estando a preparar a adaptação dos veículos à especificidade de armazenamento destes produtos. Como referiu José Cardoso, será necessário equipar os camiões com câmaras de frio positivo e controle de temperatura. Este projeto tem uma perspetiva de longo prazo, já que está a ser pensado para o transporte de alimentos que careçam de viajar em ambientes controlados.

A Klog tem vindo todos os anos a apresentar novidades ao mercado. No ano passado, a estratégia focou-se no mercado doméstico. Inaugurou novas instalações no Porto, o que representou um investimento de 750 mil euros, e lançou um serviço de entregas em 24 horas. Este novo segmento de negócio é fruto das “novas tendências de mercado, ou seja, do crescimento do e-commerce” (compras via internet), justificou José Cardoso. O serviço funciona tanto para o negócio B2B (empresa para empresa) como no B2C (empresa para consumidor).

A empresa e transportes e logística, que responde por uma carteira de 1450 clientes, registou um volume de negócios de 52 milhões de euros no exercício do ano passado, um crescimento de 28% face a 2016. O segmento P&S Cargo (soluções multimodais de carga) apresentou um aumento de 22% na faturação para 22 milhões. A divisão Land gerou um volume de receitas de 19 milhões, mais 24% e o negócio Air&Sea viu a sua faturação crescer 44% para nove milhões. Esta área de atividade foi reforçada no ano passado com o lançamento de serviços para importação da China via avião ou combinando transportes ferroviário e marítimo ou rodoviário.

José Cardoso estima que, com as novas soluções de transporte a lançar este ano e o fortalecimento das áreas onde a transportadora atua, a Klog possa fechar 2018 com um volume de negócios da ordem dos 67 milhões. O plano de negócios da empresa estipula uma faturação de 100 milhões como objetivo a atingir em 2021. A Klog tem uma rede em quatro continentes e cobre mais de 120 países.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

7º aniversário do Dinheiro Vivo: Conferência - Sucesso Made in Portugal. 
Pedro Siza Vieira, Ministro da Economia
(Diana Quintela/ Global Imagens)

Made from Portugal: desafio para os próximos 7 anos

Lisboa, 11/12/2018 - 7º aniversário do Dinheiro Vivo : Conferência - Sucesso Made in Portugal, esta manhã a decorrer no Centro Cultural de Belém.
Rosália Amorim, Directora do Dinheiro Vivo; Antonoaldo Neves, CEO da TAP; João Carreira, Co-fundador e Chairman da Critical Software; Paulo Pereira da Silva, CEO da Renova; João Miranda, CEO da Frulact; Rafic Daud, Co-fundador e CEO da Undandy; Helder Dias, VP of Engeneering da Farfetch 
(Diana Quintela/ Global Imagens)

Um unicórnio na China, papel higiénico sexy e patê de algas

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Klog reforça ligação ferroviária à Catalunha