Retalho Alimentar

Lidl quer reduzir 20% plástico até 2025

Fotografia:DR
Fotografia:DR

Reduzir deste material em embalagens de marcas próprias e nas de fabricantes é o objetivo, bem como 100% das marcas próprias com material reciclável

O Lidl quer reduzir em 20% o plástico usado nos produtos vendidos pela cadeia até 2025.

“Este objetivo será alcançado através de medidas associadas às embalagens dos seus produtos de marca própria, que representa cerca de 80% dos produtos vendidos pelo Lidl Portugal, bem como as embalagens exteriores de produtos de marcas de fabricante”, informa a cadeia alemã.

Até 2025 o Lidl quer ainda que a totalidade das embalagens plásticas de marca própria incorporam materiais recicláveis, apoiando assim parte da estratégia europeia para os plásticos apresentada recentemente pela Comissão Europeia que definiu 2030 como a data limite para acabar com as embalagens de plástico descartáveis na União Europeia, mudando para plástico reciclável e reutilizável.

A União Europeia quer que 55% do plástico seja reciclável até 2030 e que os Estados membros reduzam o uso de plástico por pessoa de 90 por ano para 40 até 2026. Cerca de 100 milhões de euros serão disponibilizados pela UE para investigação em design de produtos com maior durabilidade e recicláveis, sendo que os países membros terão a obrigação de monitorizar e reduzir o seu lixo plástico marítimo, noticiou o Guardian em janeiro.

Os europeus geram por ano 25 milhões de toneladas de resíduos de plástico, mas menos de 30% são recolhidos para reciclagem. Em todo o mundo, o plástico representa 85% do lixo que chega às praias.

O tema preocupa os europeus: 87% dos europeus estão preocupados com o impacto do plástico no ambiente (em Portugal são 91%) e três em cada quatro (74%) estão preocupados com os impactos que este material pode ter na sua saúde (77% em Portugal), segundo dados do Eurobarómetro.

Em Portugal, num esforço de reduzir o uso de sacos plástico nos supermercados, o Governo de Passos Coelho introduziu em 2015 uma taxa de 10 cêntimos sobre cada um dos sacos. A medida pretendia reduzir a utilização de 466 sacos por habitante e por ano, uma das mais elevadas da Europa, para 50 sacos.

Muitas cadeias passaram a cobrar pelos sacos vendidos na loja. O Lidl tinha implementado esta medida desde 1995, altura da sua entrada em Portugal. A cadeia está analisar ainda, “em parceria com os seus parceiros de negócio, as situações onde é possível abdicar do plástico, ou onde existem alternativas mais sustentáveis”, bem como “disponibilizar artigos não embalados ou a granel na sua secção de Frutas e Legumes, Padaria e Frutos Secos, sendo que irá continuar a otimizar a oferta noutras famílias de produtos”.

A companhia diz ainda que, através de uma política de economia circular nas mais de 250 lojas e 4 centros logísticos, tem “reciclado e/ou valorizado mais de 3.500 toneladas de plástico apenas nos últimos três anos”.

Em outro âmbito, “todo o cartão separado é reciclado”. tendo a cadeia fechado uma parceria com a AMB3E, entidade gestora do fluxo de embalagens e resíduos de embalagens.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
António Costa, primeiro-ministro. ( Pedro Granadeiro / Global Imagens )

Conheça a composição do novo Governo de António Costa

António Costa, primeiro-ministro. ( Pedro Granadeiro / Global Imagens )

Conheça a composição do novo Governo de António Costa

O primeiro-ministro, António Costa, e o ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: MÁRIO CRUZ/LUSA

Centeno adia esboço orçamental de 2020 até quarta de manhã

Outros conteúdos GMG
Lidl quer reduzir 20% plástico até 2025