Futebol

Liga deixa de ser NOS. Operadora deixa cair patrocínio

Final Liga NOS 16-17

Operadora dava nome à Liga há sete épocas. Patrocínio cai depois do fim da época 2020-2021.

A NOS vai deixar cair o patrocínio à Liga Portuguesa de Futebol Profissional depois do fim da época de 2020/2021, informou a operadora em comunicado. A empresa era patrocinadora principal e dava nome à Liga.

“Esta decisão resulta de uma avaliação que a empresa tem vindo a realizar há já alguns meses e da qual resultou a conclusão que, após sete épocas, o valor que esta parceria representava para ambas as partes e os objetivos que lhe estiveram subjacentes estarão totalmente atingidos”, justifica a empresa.

“A NOS vê muito positivamente o resultado da parceria, ao longo das últimas épocas, com a LPFP, que muito contribuiu para uma maior visibilidade da paixão que une os portugueses. O futebol português, com qual partilhamos os valores de ambição, proximidade e inovação, continuará a merecer um forte envolvimento da NOS, ainda que noutros formatos, e continuaremos a assumir um papel ativo, colaborando com todos os agentes da modalidade na construção de um ecossistema que se pretende competitivo e sustentável”, refere a empresa em comunicado.

Liga Portugal foi informada pela NOS da intenção de não renovar e recorda que “o contrato de patrocinador principal e ‘naming sponsor’ da sua principal competição, a Liga NOS”, está “atualmente em vigor até final de junho de 2021”.

A direção executiva da Liga Portugal “deixa uma palavra de profunda gratidão à aposta feita pela marca, no período de sete anos, e que se traduziu num crescimento do valor da prova, também alavancado por esta aliança”.

“A NOS será o ‘naming sponsor’ exclusivo mais longo da história da I Liga, com um contrato que se iniciou em 2014 e que termina no final da época 2020-21, depois de uma renovação por mais três anos que aconteceu com enorme agrado de ambas as partes, em 2017”, durante o primeiro mandato de Pedro Proença como presidente da Liga, refere em comunicado.

No início da semana, o desportivo Record dava conta de que a NOS poderia deixar cair o patrocínio à Liga, ao qual estava ligado há sete épocas e cuja última renovação tinha sido em julho de 2017, por três temporadas, na época tinha sido avançado de que o patrocínio valeria cerca de 20 milhões à Liga.

Na origem da decisão, diz o desportivo, estaria o mal-estar provocado pela sugestão feita pelo presidente da Liga, Pedro Proença, junto do Ministério da Economia, Pedro Siza Vieira, em que sugeria ao Governo a hipótese de, por ação do Estado, as operadoras concordarem em transmitir as restantes dez jornadas do campeonato, ou parte delas, em sinal aberto.

A NOS, recorde-se, é detentora dos direitos desportivos do Sporting e Benfica, bem como dos direitos televisivos dos canais dos dois clubes, sendo ainda acionista – juntamente com Joaquim Oliveira, a Vodafone e a Altice Meo – da Sport TV, empresa que transmite os jogos da Liga.

Durante a suspensão do campeonato, a empresa de canais temáticos premium deixou de cobrar as mensalidades aos clientes.

(notícia atualizada às 18h33 com posição da Liga)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: José Carmo/Global Imagens

ISEG estima queda do PIB entre 8% e 10% este ano

António Mota, fundador da Mota-Engil. Fotografia: D.R.

Mota-Engil é a única portuguesa entre as 100 maiores cotadas do setor

António Rios Amorim, CEO da Corticeira Amorim. Fotografia: Tony Dias/Global Imagens

Lucros da Corticeira Amorim caíram 15,1% para 34,3 milhões no primeiro semestre

Liga deixa de ser NOS. Operadora deixa cair patrocínio