Ligeiros a gasóleo mais penalizados

ng3090840

Os impostos sobre os automóveis voltaram a sofrer alterações neste Orçamento e os mais penalizados são os ligeiros a gasóleo, o que penaliza carros pessoais mas também carros de empresas, taxistas ou de serviço.

A medida mais imediata é o aumento do selo do carro, que apesar de subir todos os anos para todos os veículos, em 2014 será agravada para os ligeiros a gasóleo que vão ter mais uma taxa para pagar. “Tudo o que são taxas adicionais prejudica o setor”, comenta o diretor-geral da APETRO, António Comprido. Outra medida, que passa mais despercebida, resulta num aumento do Imposto Sobre Veículos (ISV) também só para os carros a gasóleo.

Até agora, todos os que tivessem emissões de CO2 inferiores a 0,003 g/km tinham de pagar mais 500 euros de ISV, mas agora passam a pagar os que tiverem emissões inferiores a 0,002 g/km, ou seja, aumenta a base onde ir buscar receita. Ainda assim, o Governo diz no relatório do Orçamento que espera aumentar a receita do ISV, fazendo fá no aumento da venda de carros.

Menos penalizador, diz António Comprido, é o aumento da Contribuição de Serviço Rodoviário (CSR) que é o que financia a Estradas de Portugal. Segundo o Orçamento, passa de 66,32 para 67 euros por mil litros de gasolina e de 89,12 para 91 euros por mil litros de gasóleo. “O que são cêntimos”, diz o mesmo responsável. Mas passa a incluir o GPL Auto que pagará 53 euros por mil litros e que ficará mais cara, uma vez que este imposto é incorporado no preço pago na bomba.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mário Centeno, ministro das Finanças e presidente do Eurogrupo. Fotografia: EPA/STEPHANIE LECOCQ

Peso da despesa com funcionários volta a cair para mínimos em 2020

26/10/2019 ( Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens )

Conselho de Ministros aprovou Orçamento do Estado

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República portuguesa. Foto: REUTERS/Benoit Tessier

OE2020: PR avisa que é preciso “ir mais longe” em matérias como a saúde

Outros conteúdos GMG
Ligeiros a gasóleo mais penalizados