Imobiliário

Lisboa. Fora do centro as casas são vendidas por metade do preço

Fotografia: Júlio Lobo Pimentel / Global Imagens
Fotografia: Júlio Lobo Pimentel / Global Imagens

Que o preço das casas está em alta nas grandes cidades, especialmente em Lisboa, já não é novidade. Mas há zonas onde os valores são mais baixos

Encontrar um imóvel a preços baixos é tarefa difícil por estes dias, em Lisboa. Mas, de acordo com a Confidencial Imobiliário, se os preços estão elevados, ainda há zonas dentro da cidade onde os valores cobrados chegam a ser menos de metade dos pedidos para as zonas mais centrais.

É o caso da zona ocidental de Lisboa, onde os valores pedidos estão entre 50% e 60% abaixo dos registados nos principais bairros históricos.

Olhemos para São Domingos de Benfica. Na freguesia mais cara da zona ocidental as casas foram vendidas, em média, por 2130 euros o metro quadrado. Este valor é 49% abaixo dos 4200 euros o metro quadrado que se registam no Príncipe Real.

Descendo para a Avenida da Liberdade ou Chiado, os valores escalam para 4916 euros e 4635 euros o metro quadrado. Mais 54% e 58%, respetivamente do que na zona ocidental da cidade.

Se a comparação de São Domingos de Benfica for feita com o bairro de São Paulo, a diferença chega a ser de 62% – o metro quadrado está a valer 5653 euros.

A área mais oriental de Lisboa também tem observado valores mais baixos do que os praticados no centro. Mesmo assim, bem acima da área radicalmente oposta: no Parque das Nações pagam-se 3000 euros o metro quadrado, apenas menos 28% do que no Príncipe Real, mas ainda assim mais 46% do que no bairro de São Paulo.

Face ao Chiado ou Avenida da Liberdade a divergência é de 41% e 35%, respetivamente, mostra o SIR – Sistema de Informação Residencial do Confidencial Imobiliário.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Franceses da Altice concluíram aquisição da PT Portugal à Oi em junho por 5,7 mil milhões de euros

Porto. Trabalhadores da PT avançam com concentração esta quinta-feira

Estado leva endividamento da economia para novo máximo

Portugueses têm menos dinheiro

Proibidos pagamentos em dinheiro acima de 3.000 euros

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Lisboa. Fora do centro as casas são vendidas por metade do preço