Bebidas

Lixo plástico marinho. Do mar português para uma garrafa da Coca-Cola

A carregar player...

Coca-Cola trouxe à WS alguns exemplares das suas garrafas produzidas com 25% de lixo plástico marinho. Toneladas de lixo retiradas do mar português.

Toneladas de plástico a flutuar no mar estão a tornar-se uma imagem habitual. Há literalmente mares de lixo que invadem os países, e poluem a vida marinha.

Os números são avassaladores. Estima-se que entre 1.15 e 2.41 milhões de toneladas de plástico entrem nos oceanos vindos dos rios, segundo os números do The Ocean Clean Up.

A dimensão do problema levou a muitas empresas a avançarem com compromissos para a redução do plástico das suas embalagens e objetivos de introdução de material reciclado nas novas embalagens. Juntamente com a PepsiCo, a Nestlé ou a Mars, a Coca-Cola foi uma das companhias a avançar com esse tipo de compromissos.

Reduzir a gramagem do plástico das garrafas resultou na redução do plástico que entra na cadeia ambiental, mas a empresa quer até 2025 reciclar 100% das embalagens, torná-las totalmente recicláveis, garantindo que são produzidas, pelo menos, com metade de plástico reciclado.

Leia ainda: Coca-Cola. Uma garrafa com plástico do mar de Portugal e Espanha

É neste âmbito que surgem as garrafas feitas com lixo de plástico marinho. Têm cerca de 25% de plástico recolhido de praias e do mar de Portugal de Espanha. Toneladas de lixo marinho, plástico degradado, que através de um sistema de reciclagem químico pode ser reutilizado. Há apenas 300 garrafas produzidas em todo o mundo. Mas em 2020 a companhia quer introduzir este tipo e embalagem na produção.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Lixo plástico marinho. Do mar português para uma garrafa da Coca-Cola