Lucro da Altri cai 73% para 24,3 milhões até setembro

A Altri registou cerca de 24,3 milhões de euros de lucro nos primeiros nove meses do ano, menos 73,2% do que em igual período do ano passado, foi hoje anunciado.

"O resultado líquido ascendeu a 24,3 milhões de euros", sendo que em igual período do ano anterior totalizou 90,7 milhões de euros, indicou, em comunicado, a Altri.

De janeiro a setembro, a empresa que opera no setor da produção de pastas de eucalipto e gestão florestal, registou 469,5 milhões de euros de receitas, valor que compara com 582,1 milhões de euros em igual período do ano anterior.

Por sua vez, os custos totais cederam 2,9%, no período em causa, atingindo 374,2 milhões de euros.

Já o resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) fixou-se, até setembro, em 95,4 milhões de euros, uma descida de 51,5% em comparação com o período homólogo.

Os resultados financeiros da Altri foram negativos em 17,3 milhões de euros, mais 2,3% do que nos primeiros nove meses de 2019.

Em 30 de setembro, a dívida líquida da empresa ultrapassava os 504 milhões de euros, um decréscimo de 28,1 milhões de euros.

Apesar da quebra registada nos resultados consolidados, a empresa adiantou que, no terceiro trimestre, verificou-se "uma inversão" e que, apesar da desvalorização do dólar, através do reforço da eficiência operacional e da redução dos custos, foi possível "atingir um nível de EBITDA superior ao verificado" no trimestre anterior, com a margem EBITDA a melhorar 4,5 pontos percentuais.

Este trimestre ficou marcado por uma "normalização da procura a nível europeu", o que se traduziu numa taxa de crescimento da procura por parte dos produtores de papéis 'tissue' mais baixa do que a do trimestre anterior.

Adicionalmente, constatou-se um crescimento trimestral da procura de papéis de impressão e escrita, "embora a procura atual deste tipo de papéis seja inferior ao nível registado no ano anterior".

Os preços de venda de pasta BHKP, por seu turno, continuaram em 680 dólares por tonelada, mas a desvalorização do dólar levou a que o preço fosse fixado nos 582,6 euros por toneladas, menos 6% em comparação com preço verificado no segundo trimestre.

No período em causa, as unidades do grupo produziram 277,1 mil toneladas de pasta, um aumento de 2,8% face ao trimestre anterior e uma redução de 2,9% em comparação com o período homólogo.

"Neste período foram produzidas 253,6 mil toneladas de pasta papeleira tipo BHKP e 23,5 mil toneladas de pasta solúvel (DWP). Em termos de vendas, foram vendidas 256,2 mil toneladas de pastas, das quais, aproximadamente, 25 mil toneladas foram de DWP", precisou a empresa.

A Altri adiantou ainda que a produção de energia elétrica renovável através de biomassa florestal atingiu 189,9 gigawatts por hora, mais 21% do que no período homólogo.

"O contexto atual continua a ser marcado por um elevado nível de incerteza decorrente do contexto pandémico . Assim, toda a organização que constitui o grupo Altri está centrada na importância que constituiu a competitividade das suas unidades produtivas", assegurou a empresa, acrescentando que "têm vindo a ser concebidos e implementados projetos que procuram reforçar" o posicionamento do grupo como produto europeu mais eficiente.

Na sessão de hoje da bolsa, as ações da Altri cederam 2,41% para 3,96 euros.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de