Resultados

Lucro da EDP Renováveis dispara 32% no trimestre

(DR)
(DR)

A empresa registou um resultado de 75 milhões de euros até março, acima dos homólogos 57 milhões e das estimativas

A EDP Renováveis anunciou esta manhã que fechou o primeiro trimestre do ano com um resultado líquido de 75 milhões de euros, montante que representa um crescimento de 32% face aos 57 milhões arrecadados em igual período do ano passado.

A suportar as contas da empresa esteve quer o aumento de receitas quer do EBITDA.

O primeiro indicado registou uma subida de 22% para os 508 milhões de euros, face aos homólogos 418 milhões, beneficiadas “principalmente pelo aumento da capacidade em operação e o pelo superior factor de utilização, que mitigaram o efeito negativo do menor preço de venda”.

Já o EBITDA aumentou 29% para os 379 milhões de euros, que comparam com os 295 milhões do primeiro trimestre de 2015, espelhando “a evolução das receitas e o decréscimo de 2% nos custos operacionais por MW em operação”.

Os números hoje apresentados ficaram acima das estimativas dos analistas, uma vez que a média de três casas de investimento consultadas pela Reuters apontava para um lucro de 71 milhões de euros, receitas de 509 milhões e um EBITDA de 375 milhões.

A EDP Renováveis salienta ainda que produziu 7,5 TWh de energia limpa no primeiro trimestre deste ano, face aos homólogos 5,8 TWh e que representa um crescimento de 30%, que beneficiou das “adições de capacidade durante os últimos 12 meses e do factor de utilização mais elevado registado em todas as regiões”.

Até março deste ano, a Renováveis geria um carteira global de 9,7 GW repartidos por 10 países, sendo que nos últimos 12 meses adicionou 672 MW à sua capacidade instalada, dos quais 398 MW nos EUA.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Presidente do Conselho de Finanças Públicas (CFP), Nazaré da Costa Cabral. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Linhas de crédito anti-covid ainda podem vir a pesar muito nas contas públicas

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

Apoio a rendas rejeitado devido a “falha” eletrónica

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Só 789 empresas mantiveram lay-off simplificado em agosto

Lucro da EDP Renováveis dispara 32% no trimestre