Lucro da Glintt cresce 4% para 658 mil euros no primeiro semestre

As vendas de produtos apresentaram um crescimento de 12% face a igual período em 2013
As vendas de produtos apresentaram um crescimento de 12% face a igual período em 2013

O lucro da Glintt aumentou cerca de 4% para 658 mil euros no primeiro semestre deste ano, em relação ao período homólogo de 2013, anunciou hoje a tecnológica.

Em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Glintt -Global Intelligent Technologies informou que o volume de negócios consolidado até junho ascendeu a 41 milhões de euros, acima dos 40,5 milhões de euros registados em igual período do ano anterior.

“A atividade internacional continua a evoluir de forma positiva, representando, neste primeiro semestre, cerca de 28% do volume de negócios global”, adianta o grupo que diz ser “líder em Portugal” no desenvolvimento e comercialização de terminais de pagamento eletrónico e “líder ibérico” em ‘software’ de gestão de farmácias. Já o mercado nacional continua em “lenta recuperação”, acrescenta.

Leia Também:Moçambique aprova lei que vai ajudar exploração de gás da Eni e da Galp

As vendas de produtos apresentaram um crescimento de 12% face a igual período em 2013, refletindo a evolução da atividade económica internacional, e alguns ligeiros sinais de retoma, ao nível da colocação de produtos próprios, no mercado doméstico, adianta.

Do lado dos serviços, o crescimento é atribuído às unidades de negócio que têm investido no mercado internacional, nomeadamente Brasil e países do norte e centro da Europa, não sendo contudo suficiente para contrariar a evolução verificada neste período, no mercado doméstico.

Nos primeiros seis meses do ano, o resultado operacional bruto (EBITDA) subiu 13% face a igual período de 2013, cifrando-se nos 4,2 milhões de euros, tendo a margem operacional bruta (margem EBITDA) subido de 9,1% para 10,2%.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
REUTERS/Pedro Nunes/File Photo

Não são só mais vendas, preço das casas subiu 10,3% em 2018

Fotografia: Gustavo Bom/Global Imagens

Fisco mostra-lhe o destino dos seus impostos

Mario Draghi, presidente do BCE e Carlos Costa, governador do BdP
(Gerardo Santos / Global Imagens)

Carlos Costa contraria Centeno. Portugal continua sem convergir com a UE

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Lucro da Glintt cresce 4% para 658 mil euros no primeiro semestre