Lucro da Sonae sobe 34% para 98 milhões no primeiro semestre

O lucro da Sonae cresceu suportado no crescimento de todos os negócios e na venda de parte da participação detida na tecnológica Outsystems.

A Sonae registou um lucro líquido de 98 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, um aumento homólogo de 34,2%, suportado no crescimento de todos os negócios e na venda de parte da participação detida na tecnológica Outsystems.

O grupo, que é líder no retalho em Portugal e o maior empregador do país, viu o seu volume de negócios crescer 6,6% para 2.680 milhões de euros e o EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) aumentar 11% para 154 milhões de euros.

A Sonae detém, além dos hipermercados Continente, as lojas de retalho especializado Worten, Sport Zone, Zippy, controla a gestora de centros comerciais Sonae Sierra e 23,4% da NOS.

"Face ao crescimento das vendas e da rentabilidade, bem como ao dos resultados indiretos, o resultado líquido atribuível a acionistas melhorou 25 milhões de euros, para 98 milhões de euros, mais 34,2% em termos homólogos", afirmou a Sonae, esta quarta-feira, no comunicado com os resultados do primeiro semestre.

O resultado indireto do grupo mais do que duplicou para 68 milhões de euros, sobretudo devido a "reavaliações do portefólio, de ganhos de capital da Sonae IM e do valor criado nas propriedades de investimento da Sonae Sierra".

A tecnológica Outsystems -detida indiretamente pela Sonae IM - captou 360 milhões de dólares (310 milhões de euros) numa ronda de investimento da KKR e Goldman Sachs, que resultou numa distribuição de capital para a Sonae no montante de 58 milhões de euros antes de impostos. "O resultado indireto da Sonae IM (que detém a posição na Outsystem) foi de 48 milhões de euros, resultante de reavaliações de portefólio e ganhos de capital", explicou.

Ângelo Paupério, co-presidente executivo da Sonae, destacou que o crescimento do grupo foi conseguido em simultâneo com a diminuição da "dívida do grupo em mais 95 milhões de euros", ao mesmo tempo que o grupo aumentou o investimento e continuou "a fazer crescer em 5% o dividendo" pago aos acionistas.

O negócio de retalho alimentar - que poderá vir a ser colocado em bolsa pela Sonae - cresceu 7,2% na primeira metade deste ano. A Sonae é dona dos hipermercados Continente e, entre abril e junho, reforçou a sua liderança no setor pelo 11º trimestre consecutivo.

A principal área de negócio da Sonae registou um aumento de volume de negócios de 167 milhões de euros na primeira metade do ano para 1.906 milhões de euros beneficiando de uma variação de vendas no universo comparável de lojas de +2,7% e da contínua expansão da rede de lojas do Continente Bom Dia".

O grupo está a preparar a Oferta Pública Inicial (Initial Public Offering em inglês, ou IPO) do seu braço para o retalho alimentar, que a avançar, vai integrar os hipermercados e supermercados bem como o portefólio com os ativos imobiliários do retalho.

"O (segundo) trimestre ficou, no entanto, marcado pelos resultados obtidos no âmbito da gestão de portefólio, com decisivos avanços na preparação do IPO da Sonae MC, com a alienação parcial da participação na Outsystems e, sobretudo, pela aquisição de mais 20% da Sonae Sierra numa operação que contribuiu para um maior equilíbrio do nosso portefólio e para o reforço do perfil internacional que se mantém na linha da frente das prioridades estratégicas da Sonae”, disse Paupério citado no comunicado.

A Sonae investiu 151 milhões de euros entre janeiro junho, um aumento de 30 milhões de euros face a igual período de 2017, sobretudo na abertura de lojas no retalho em aquisições através da Sonae IM.

O volume de negócios da Sonae Fashion cresceu 0,9%. "O primeiro semestre do ano foi um dos períodos mais desafiantes de sempre para os operadores de fashion, com todo o sector a ser impactado negativamente por condições meteorológicas atípicas e pela antecipação da Páscoa", referiu a Sonae.

O destaque nesta área de negócio vai para o aumento das vendas online, que dispararam 56% na Zippy, subiram 13% na Salsa e mais do que duplicaram na MO. As vendas internacionais representam atualmente 45% das vendas totais das vendas totais da Sonae Fashion.

O volume de negócios da Worten cresceu 7,1% face para 474 milhões de euros.

A divisão que integra a Sport Zone e a JD Sprinter teve um volume de negócios de 116 milhões de euros, mais 7,8% em termos homólogos.

A Sonae Sierra e a NOS já tinham divulgado os seus resultados do primeiro semestre.

O grupo anunciou recentemente que Cláudia Azevedo vai ser a nova presidente executiva, o que será oficializado na próxima assembleia geral de acionistas da Sonae, por volta de abril de 2019. Paulo Azevedo e Ângelo Paupério, atuais co-presidentes, ficarão no grupo como administradores não executivos.

No último ano, a Sonae criou 1.700 postos de trabalhou, fechando o mês de junho com mais de 45 mil trabalhadores nos seus quadros.

As ações do grupo fecharam hoje a cair 2,63% para 0,962 euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de