Resultados

Lucro da Vista Alegre próximo dos 6,5 milhões em 2018

Loja da Vista Alegre.
(Maria João Gala / Global Imagens)
Loja da Vista Alegre. (Maria João Gala / Global Imagens)

Este aumento é justificado pelo crescimento do negócio em novos mercados, nomeadamente na Europa e Ásia.

A Vista Alegre atingiu no ano passado o melhor resultado dos últimos anos, com um lucro de quase 6,5 milhões de euros, um aumento de 54% relativamente ao ano anterior, informou a empresa.

Segundo os resultados anuais comunicados à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), para este resultado contribuiu sobretudo o mercado externo, com 66,5 milhões de euros de vendas, o que representa 67% do volume de negócios da Vista Alegre.

Este aumento é justificado pelo crescimento do negócio em novos mercados, nomeadamente na Europa e Ásia. Na Europa, a Vista Alegre destaca a França e Espanha como os países com maiores crescimentos.

O volume de negócios da empresa atingiu os 99 milhões de euros em 2018, um aumento de 17% relativamente ao período homólogo, e o resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) cresceu 31%, situando-se no final do ano nos 17,8 milhões de euros.

A compra da Bordallo Pinheiro e Cerutil, em agosto e 2018, reforçou o posicionamento da Vista Alegre no setor da cerâmica e deu maior dimensão e diversificação aos segmentos de negócio da empresa, que passou a explorar a marca centenária “Bordallo Pinheiro”.

Durante o exercício de 2018, os investimentos realizados, no montante de 29,5 milhões de euros, foram essencialmente no segmento do grés mesa (alargamento da fábrica da Ria Stone) e cristal / vidro (projeto CristalLux).

Este ano, segundo a Vista Alegre, a Ria Stone terá a sua capacidade produtiva aumentada em 60%, com produção integralmente destinada e absorvida pelo cliente IKEA.

Já a Bordallo Pinheiro concluirá o investimento de aumento de capacidade produtiva em 50% e poderá desta forma dar resposta ao crescente nível de procura dos seus produtos, acrescenta o documento os resultados comunicados à CMVM.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Foto: DR

IMI baixa para mais de 24 mil famílias que pediram reavaliação

António Costa Silva, presidente do frupo Partex. 
(Nuno Pinto Fernandes / Global Imagens)

Huawei: “Portugal não tem a receber lições de moral”, diz presidente da Partex

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Lucro da Vista Alegre próximo dos 6,5 milhões em 2018