Lucros da Sumol + Compal recuam 12,4% para 9,2 milhões o ano passado

Vendas em Portugal subiram. Companhia registou o ano passado um volume de negócios de 356,1 milhões

A Sumol + Compal fechou o ano passado com lucros de 9,2 milhões de euros, valor que representa uma descida de 12,4% face aos 10,5 milhões que registou em 2016.

A empresa colocou no mercado 394,7 milhões de litros de vendas e preparados vegetais (+0,5%), com o valor consolidado das vendas a se fixar nos 347,7 milhões (0,4%). No período, a Sumol + Compal registou um volume de negócios total de de 356, milhões (+0,1%). O EBITDA recuou 7,4%, para 48,3 milhões.

Portugal receitas sobem

Apesar do "contexto local indissociável do clima de forte diabolização dos açúcares adicionados, particularmente nas bebidas", as vendas da Sumol + Compal no mercado nacional aumentaram o ano: 295,8 milhões de litros (1,4%), com as vendas líquidas a subir 2,3%, para os 251,7 milhões de euros.

Vendas em Angola recuam

As vendas da empresa nos mercados internacionais atingiram 96 milhões de euros, o que representa uma quebra de 4,2% face a 2016.

Uma variação negativa justificada pelo desempenho do mercado angolano, onde o volume transacionado caiu 10,9%, para os 46,7 milhões de litros, e as vendas líquidas a recuar 10,3%, para os 60,6 milhões.

Moçambique tem um desempenho positivo. A companhia vendeu 7 milhões de litros (+17,4%), tendo as receitas subido 27,6%, para 5,7 milhões. "Este crescimento foi alicerçado no desenvolvimento expressivo da marca Compal, quer em Moçambique, quer na exportação para mercados adjacentes, designadamente para a África do Sul", justifica a companhia em comunicado.

A Unidade de Mercado de Exportação apresentou um volume de negócios de 28,3 milhões, um crescimento de 5,2% face ao ano anterior, tendo a companhia exportado para 57 países. Este crescimento foi suportado pelas vendas no mercado europeu: subiram 8,3%, com destaque para Luxemburgo que cresceu 18%.

As vendas para a China subiram 8%.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de