Lucros da Sumol+Compal quadruplicam

Sumol+Compal

Os lucros da Sumol+Compal, em 2013 mais que quadruplicam em relação aos de 2012, atingindo os 4,4 milhões de
euros. Volume de negócios sobe 2% para 301,7 milhões de euros. Sendo que quase metade do volume de vendas (42%) foi feito no exterior.

De acordo com a empresa a “melhoria dos resultados líquidos ficou a dever-se, designadamente, à evolução das vendas nos mercados internacionais e também à performance operacional do grupo em termos nacionais”.

Leia também Investimento estrangeiro cai no país mas está de volta à Madeira

As vendas em Portugal ascenderam a 202,7 milhões de euros, “em linha com o ano anterior, enquanto o volume de vendas cresceu 1% para 247,4 milhões de litros”.

Nos mercados internacionais a evolução das vendas foi positiva,
registando-se um crescimento de 7,7% em valor, para 86,5 milhões de euros. A
empresa realizou vendas em mais de 70 países. “Em volume, as vendas nos
mercados internacionais cresceram 2,1% para 132 milhões de
litros, o que constitui um novo máximo histórico. Cerca de 42%
do volume das marcas da Sumol+Compal é realizado nos mercados externos”, adianta a empresa.

Refere ainda que no ano passado também conseguiu “reforçar a liderança no universo de bebidas não alcoólicas, tendo alcançado uma quota de mercado de 25,6%, beneficiando da introdução de novos produtos”.

De acordo com Duarte Pinto, presidente da Comissão Executiva da Sumol+Compal, “tendo em conta o contexto externo, o desempenho global foi muito positivo, reforçando a liderança do mercado de bebidas não alcoólicas em Portugal, alcançando um novo máximo histórico de vendas nos mercados internacionais, inovando mais e registando ganhos relevantes de eficiência em Portugal”.

Os resultados operacionais (EBIT) atingiram 24,6 milhões de euros, uma evolução positiva de 16%. Em 2012, o EBITDA foi de 35,6 milhões de euros, e cresceu 10,2%. O investimento ascendeu a 8,2 milhões de euros.

A dívida remunerada líquida situou-se nos 270,3 milhões de euros, contra 295,7 milhões de euros em 2012.

A empresa dá conta ainda dos projetos desenvolvidos em 2013, como, o estudo da arquitectura de marcas e da imagem destas, a execução de estratégias de redução de preços em embalagens familiares, o aprofundamento da relação com a produção frutícola e a optimização da organização em Portugal, o desenvolvimento do projecto de instalação de uma fábrica em Angola e a conclusão da requalificação e ampliação da fábrica em Moçambique.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Pedro Queiroz Pereira

Pedro Queiroz Pereira deixa império de mil milhões

Pedro Queiroz Pereira, presidente do conselho de administração da Semapa

Semapa: “Mais do que um património, PQP deixa força e deixa valores”

Bruno Bobone

Bruno Bobone: PQP “era um exemplo de coragem e persistência”

Outros conteúdos GMG
Lucros da Sumol+Compal quadruplicam