correios

Lucros dos CTT recuam 35,9% para 31,2 milhões até setembro

Fotografia: Paulo Alexandrino / Global Imagens
Fotografia: Paulo Alexandrino / Global Imagens

Até setembro Banco CTT já captou 540 milhões de euros em depósitos

Os lucros dos CTT recuaram 35,9%, para 31,2 milhões de euros até setembro “como consequência da perda das receitas da Altice, da queda acentuada nos dois últimos trimestres do tráfego de correio e dos gastos associados ao processo de ajustamento das redes ao crescimento acelerado do Banco CTT e do negócio de Expresso e Encomendas”, informa os CTT em comunicado enviado ao mercado.

O operador postal liderado por Francisco Lacerda registou 518 milhões de receitas operacionais, ou seja, mais 0,2% do que em relação aos primeiros nove meses do ano passado. Um resultado impacto pela retirada da receita do acordo com a Altice registada em igual período do ano passado, no valor de 7,5 milhões. Retirando esse impacto “o crescimento dos rendimentos operacionais recorrentes foi de 1,6%.”

O correio endereçado mantém-se como a maior fatia de receita dos CTT, com 393,4 milhões de euros de receita, um recuo de 1,1%, refletindo o decréscimo de 6,1% do tráfego, “um ritmo mais forte do que que o limite máximo esperado, atenuado ao nível da receita pelo aumento de preços e pela evolução
positiva do mix de produtos (crescimento do correio registado e internacional) que induziu um aumento
de 5,5% na receita média”.

O tráfego de Expresso e Encomendas cresce 18,4% em Portugal e 24,6% em Espanha “com crescimento
das correspondentes receitas de, respetivamente, 10,2% e 17,4%, tendo contudo custos incrementais
superiores ao antecipado (utilização limitada da capacidade instalada)”. Esta unidade gerou 96,2 milhões de receitas (+17%).

A área de serviços financeiros apresentou 48,2 milhões de euros de rendimentos operacionais, um decréscimo de 9,7% (-5,2 milhões) face a igual período de 2016,” justificado fundamentalmente pela inexistência em 2017 da receita relativa ao acordo com a Altice (-2,5 milhões) e pelo decréscimo dos rendimentos de pagamentos (-1,7 milhões de euros)”.

Banco CTT: 5,3 milhões de receitas e 200 mi contas

O Banco CTT registou 5,3 milhões de receitas até setembro, tendo reforçado a aposta no crédito à habitação, com “uma produção de 24,3 milhões no terceiro trimestres, mantendo o forte crescimento do número de clientes (superior a 240 mil) que permitiu alcançar em final de setembro mais de 190 mil contas de depósitos à ordem. Hoje já ultrapassou as 200 mil contas”, informa CTT.

Com 18 meses de existência o banco já está presente em 200 lojas CTT, tendo conquistado 240 mil clientes. Até setembro banco já captou acima de 540 milhões de euros de depósitos, dos quais 341 milhões de euros à ordem. O banco já colocou mais de 43 mil Cartões de Crédito Banco CTT.

O crédito pessoal, em parceria com a Cetelem, gerou um volume de crédito disponibilizado superior a 25 milhões até setembro de 2017.

“No final de setembro o valor financiado de crédito a clientes perfez cerca de 42 milhões de euros, dos quais 29,2 milhões em crédito à habitação após uma colocação de quase 25 milhões somente no 3º trimestre”, informa os CTT.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ex-presidente do BPN, José Oliveira Costa. Fotografia: Rodrigo Cabrita/Global Imagens

Finanças. Antigo BPN está a ajudar a reduzir défice deste ano

Vieira da Silva e Cláudia Joaquim
Fotografia: Leonardo Negr‹ão / Global Imagens

Governo admite eliminar factor de sustentabilidade noutros tipos de pensões

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva  JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Regras das pensões antecipadas que existem em 2018 vão manter-se

Outros conteúdos GMG
Lucros dos CTT recuam 35,9% para 31,2 milhões até setembro