Luz: Consumidores vão poder pagar acertos em prestações de 12 meses

A nova regra serve para aliviar as famílias, diz a diretiva da ERSE
A nova regra serve para aliviar as famílias, diz a diretiva da ERSE

Os acertos feitos nas contas de eletricidade que sejam superiores à média do que se pagou nos seis meses anteriores vão poder ser pagos em 12 meses, mas em prestações iguais todos os meses.

Esta nova regra, que consta de uma diretiva da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) publicada esta quarta-feira em Diário da República, é válida para os consumidores domésticos e tem como objetivo aliviar as famílias se surgir um acerto muito elevado que não se possa pagar todo de uma vez.

Assim, a partir de agora, existem várias formas de pagar esses acertos.

Por exemplo, se fatura média mensal dos seis meses anteriores for de 50 euros e receber na conta um acerto de 100 euros, o consumidor pode pagar entre um mínimo de cinco euros e um máximo de 25% do consumo médio mensal dos últimos 6 meses, que neste caso especifico seriam 12,5 euros. Isto até perfazer os 100 euros de acerto.

Pode ainda pagar a 12 meses, o que neste caso específico daria 8,33 euros por mês, ou então pagar tudo de uma vez se lhe for conveniente.

Esta nova regra é válida para todos as operadoras, seja a EDP Serviço Universal (o comercializador de último recurso) sejam os comercializadores do mercado livre.

No gás, não há para já qualquer alteração, mas pode ainda haver este ano quando o regulador fizer a revisão dos regulamentos do sector.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Biedronka assegura 68% das vendas; Pingo Doce 24%

Jerónimo Martins vai impugnar coima de 24 milhões na Polónia

Parque Eólico

EDP Renováveis vende sete parques eólicos à Finerge em Espanha

Luís Máximo dos Santos é presidente do Fundo de Resolução.

Fundo de Resolução diz que comprador da GNB tinha a proposta “mais atrativa”

Luz: Consumidores vão poder pagar acertos em prestações de 12 meses