Emprego

Luz Saúde abre mais 50 postos de trabalho em Vila Real

Fotografia: D.R.
Fotografia: D.R.

O grupo vai criar um serviço de apoio aos clientes que deverá estar a operar durante o mês de maio.

O Grupo Luz Saúde anunciou esta quarta-feira a criação de mais 50 postos de trabalho, em Vila Real, com a abertura de um centro de serviço de apoio aos clientes da rede Hospital da Luz.

O grupo disse, em comunicado, que está a reforçar o investimento em Trás-os-Montes, depois da abertura de um hospital em Vila Real, avançando agora com a criação de um serviço de apoio aos clientes que deverá estar a operar durante o mês de maio.

Com a abertura deste centro serão criados, numa fase inicial, cerca de 50 novos postos de trabalho.

O recrutamento vai decorrer durante os meses de março e abril, sendo objetivo da Luz Saúde “promover, sobretudo, a empregabilidade de jovens à procura de uma oportunidade na região de Vila Real”.

O grupo pretende, com este investimento, criar mais 100 empregos até ao final de 2020, num total de 150.

Este novo serviço visa reforçar o atendimento aos clientes da rede Hospital da Luz a nível nacional e funcionará a partir de Vila Real para todo o país.

O Hospital da Luz abriu em setembro, em Vila Real, após um investimento de 12,5 milhões de euros que recuperou o edifício de um antigo hotel, que esteve vários anos encerrado.

Este hospital criou 70 postos de trabalho diretos, entre médicos, enfermeiros, técnicos, auxiliares e pessoal administrativo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Angel Gurría, secretário-geral da OCDE, e Pedro Siza Vieira, ministro da Economia. Fotografia: Diana Quintela/ Global Imagens

OCDE culpa estivadores de Setúbal de atrasarem a economia portuguesa

(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Comissão de Trabalhadores exige integração da EMEF na CP

Trabalhadores e reformados do Millennium BCP protestam durante uma manifestação convocada pelos sindicatos Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários (SNQTB) e Independente da Banca (SIB), contra a estagnação remuneratória, exigindo a devolução na íntegra dos cortes salariais de 2014 a 2017, nas instalações do banco no Taguspark, em Oeiras, 22 de maio de 2019. Esta manifestação coincide com a assembleia-geral anual de acionistas do BCP. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

AG do BCP marcada por manifestantes, polícia, balões e cabeçudos

Outros conteúdos GMG
Luz Saúde abre mais 50 postos de trabalho em Vila Real