marcas

Maioria dos consumidores europeus defende iniciativas sustentáveis

Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Estudo da Nielsen indica que consumidores estão dispostos a mudar hábitos de consumo mas esperam o mesmo das marcas.

A grande parte dos consumidores da Europa (81%) defende a importância de as marcas implementarem programas que melhorem o meio ambiente. A conclusão é do relatório “Evolving Sustainability” da Nielsen, que delineia o impacto das preocupações em torno da sustentabilidade para o consumo na Europa Ocidental.

São os millenials – com idades entre os 21 e os 34 anos – os consumidores mais preocupados, com 85% a afirmar firmemente que as empresas devem emprenhar-se em melhorar o ambiente. Seguem-se os baby boomers (50 – 64 anos) e a silent generation (mais de 65 anos).

De acordo com o relatório, os consumidores assumem que níveis como a responsabilidade social da marca, o caráter reutilizável ou reciclável das embalagens e a transparência da informação têm impacto na sua decisão de compra ou experimentação.

Leia também: Coca-Cola produz primeira garrafa de plástico a partir de lixo marinho

A sustentabilidade da marca pode estar relacionada com valores premium, já que 30% a 40% dos consumidores indicam estar dispostos a pagar mais por produtos que cumpram determinadas normas sustentáveis.

“Em Portugal, o cenário é semelhante e acompanha as tendências globais mais emergentes: 85% dos portugueses assumem que o suporte das empresas a causas ambientais impacta a sua decisão de compra”, afirma Ana Paula Barbosa, Retailer Vertical Director da Nielsen Portugal.

E ainda: Ikea entra na onda ambiental e elimina catálogo em papel

“A capacidade para implementar iniciativas sustentáveis vai impulsionar o crescimento de vários mercados, à medida que cresce a procura por uma oferta que responda a este tipo de preocupações e que as marcas locais fazem uso desta tendência para potenciar as suas vendas. Esta é também uma oportunidade única para a inovação, visto que constitui um enorme fator de experimentação de novas marcas ou produtos”.

A responsável acredita que à medida que as marcas continuam a implementar esforços na sustentabilidade, a sua influência vai aumentar.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

1400 empresas já pediram para aderir ao novo lay-off, apoios só a 28 de abril

Antonoaldo Neves, presidente executivo da TAP. Fotografia: Adelino Meireles/Global Imagens

TAP também vai avançar com pedido de layoff

Veículos da GNR durante uma operação stop de sensibilização para o cumprimento do dever geral de isolamento, na Autoestrada A1 nas portagens dos Carvalhos/Grijó no sentido Sul/Norte, Vila Nova de Gaia, 29 de março de 2020. MANUEL FERNANDO ARAÚJO/LUSA

Mais de 80 detidos e 1565 estabelecimentos fechados

Maioria dos consumidores europeus defende iniciativas sustentáveis