retalho

Mango reduz prejuízo em 2017 para 33 milhões de euros

Fotografia: D.R.
Fotografia: D.R.

A cadeia de moda Mango anunciou hoje que reduziu o prejuízo em 2017, ao passar de 61 milhões para 33 milhões de euros.

A cadeia de moda Mango anunciou hoje que reduziu o prejuízo em 2017, ao passar de 61 milhões para 33 milhões de euros.

As vendas diminuíram em 3% no exercício do ano passado, para 2.194 milhões de euros, na comparação com idêntico período do ano anterior, refere em comunicado a empresa que pertence ao grupo espanhol Inditex.

A empresa teve um resultado bruto operacional (EBITDA) de 115 milhões de euros no ano passado, mais 50% face a igual período do ano anterior.

A Mango, que tem lojas em Portugal, explicou também que efetuou um importante saneamento do seu balanço, com “um forte corte” no passivo bancário e uma redução da dívida financeira líquida.

O vice-presidente da Mango, Daniel López, afirmou que a empresa “espera melhorar” no exercício deste ano.

Em 31 de dezembro passado, a dívida financeira líquida do grupo diminuiu em 33%, tendo passado de 617 milhões para 415 milhões de euros, o que “melhora substancialmente a situação patrimonial do grupo”, salientou o gestor.

A faturação global no ano passado foi gerada em 77% no mercado internacional e em 23% no mercado espanhol, país onde a Mango tem a sua sede, mais precisamente em Barcelona.

Quanto às vendas através de internet, estas representam já 15,5% do total da faturação da Mango, com 339,2 milhões de euros, sendo que o grupo espera que continuem a subir até alcançar os 20% em 2019, um ano antes do previsto.

A Mango vende através de internet para 83 países e este ano prevê entrar no Irão e na Ucrânia.

A empresa espera investir um total de 50 milhões de euros este ano, sobretudo em tecnologia.

A Mango fechou o exercício de 2017 com 2.190 lojas em 110 países.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Margarida Matos Rosa, presidente da Autoridade da Concorrência

Tiago Petinga/Lusa

Concorrência acusa 5 seguradoras e 14 administradores de formarem um cartel

Turismo. Fotografia: REUTERS/Nacho Doce

Excedente comercial nacional afunda mais de 68% no 1º semestre

empresas

Quando o nome de família trava o crescimento das empresas

Outros conteúdos GMG
Mango reduz prejuízo em 2017 para 33 milhões de euros