Telecomunicações

Marco Schroeder renuncia a cargo de CEO da Oi

Marco Schroeder
Marco Schroeder

Marco Schroeder apresentou um pedido de renúncia ao cargo de CEO da Oi, confirmou o Dinheiro Vivo junto da Pharol, acionista da operadora brasileira.

“Confirmamos ter sido informados do pedido de renúncia do CEO da Oi”, confirmou fonte oficial da Pharol ao Dinheiro Vivo.

“As últimas reuniões do conselho deixaram clara a necessidade de minha saída”, disse o ex-CEO em seu anúncio de afastamento. “Tenho certeza de que existe um caminho através da recuperação judicial que irá permitir a continuidade da Oi como uma importante empresa do setor de telecomunicações no mercado brasileiro”, disse o executivo, na carta de renúncia citada pela Valor Econômico.

De acordo com a publicação brasileira, o gestor estava a ser pressionado por acionistas da Oi, descontentes com as mudanças no plano de recuperação judicial defendidas pelos obrigacionistas que defendem a assinatura de um PSA (“plan support agreement”), estabelecendo as condições para credores da companhia participarem de um futuro aumento de capital.

O plano de recuperação judicial terá de ser aprovado na assembleia geral de credores, prevista para 7 de dezembro.

Antigo CFO da Oi, Marco Schroeder assumiu a presidência executiva da Oi em junho de 2016, depois da saída de Bayard Gontijo, e dez dias antes da companhia brasileira ter avançado com o maior pedido de recuperação judicial da história do Brasil.

O profissional tinha sido CFO da PT Portugal antes da Oi ter decidido vender a operadora ao grupo francês Altice.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Gustavo Bom / Global Imagens)

Sofia Tenreiro: “Estamos a captar os portugueses que não queremos que fujam”

O ministro do Trabalho e da Segurança Social, Vieira da Silva (C), ladeado por Ana Teresa Lehmann, secretária de Estado da Indústria (D), e Miguel Cabrita (E), secretário de Estado do Emprego, fala aos jornalistas no final da reunião com administração e Comissão de Trabalhadores da Autoeuropa para discutirem um modelo de trabalho para o próximo ano, no Ministério do Trabalho e da Segurança Social, em Lisboa, 15 de dezembro ded 2017.  Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Autoeuropa. Governo dá luz verde a creches para destravar diálogo

Mário Centeno. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Fitch dá maior subida de rating de sempre a Portugal e coloca país no grupo da Itália

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Conteúdo TUI
Marco Schroeder renuncia a cargo de CEO da Oi