Turismo

Mário Ferreira vendeu 40% do negócio dos cruzeiros

Mário Ferreira, CEO da DouroAzul. (Fotografia: Pedro Kirilos/ Global Imagens)
Mário Ferreira, CEO da DouroAzul. (Fotografia: Pedro Kirilos/ Global Imagens)

Fundo americano Certares pagou 250 milhões por participação de 40% na Mystic Invest Holding

Mário Ferreira vendeu 40% da sua holding de cruzeiros, a Mystic Invest Holding, ao fundo americano Certares por 250 milhões de euros. A notícia é avançada pela revista Exame, na sua edição de junho, que dá conta que a operação vai permitir “reforçar o capital e provisões da companhia” em 175 milhões de euris, sendo que os restantes 75 milhões irão para a empresa-mãe, a Mystic Invest SGPS.

Com esta transação, o grupo de Mário Ferreira fica avaliado em 625 milhões de euros, mas na entrevista à Exame o empresário dá conta da vontade de o cotar na bolsa de Nova Iorque, em 2024, estimando que, nessa altura, a Mystic Invest valha já mais de dois mil milhões de euros.

Com uma frota de 43 navios em operação e com mais quatro já em construção, esta holding agrega os negócios de empresas como a Douro Azul, a Nicko Cruises ou a Mystic Cruises USA NEW. As previsões apontam para vendas de 500 milhões de euros em 2022 – dos quais 130 milhões no mercado americano – e resultados operacionais de 150 milhões. O grupo é já o terceiro maior operador mundial de cruzeiros fluviais, depois da Viking e da Alsace Croisières.

Com 52 mil agências, nos EUA, Canadá, México, Reino Unido e França, o fundo Certares fechou 2018 com mais de 60 mil milhões de dólares (cerca de 54 mil milhões de euros) de faturação, dos quais três mil milhões de dólares (cerca de 2,7 mil milhões de euros) em cruzeiros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Vista aérea da Praça dos Restauradores em Lisboa, Portugal, 24 Março de 2020. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

A economia entrou em estado de quarentena

Lisboa, 10/05/2019 - Vida do Dinheiro (DN-TSF) - Isabel Furtado, presidente da Cotec e da TMG.
Isabel Furtado
(Gerardo Santos / Global Imagens)

Covid-19: “Medidas têm de ser estratégicas e não apenas imediatas e impulsivas”

Ursula  von der Leyen, presidente da Comissão Europeia. Fotografia: Kenzo Tribouillard/AFP

Comissão Europeia vai rever proposta de orçamento da UE

Mário Ferreira vendeu 40% do negócio dos cruzeiros