Resultados

Martifer passa de prejuízo a lucro de 6,5 milhões em 2017

Fotografia: Fernando Fontes/Global Imagens
Fotografia: Fernando Fontes/Global Imagens

A Martifer passou de um prejuízo de 43,6 milhões de euros em 2016 a um lucro de 6,5 milhões de euros.

A Martifer, cuja atividade está centrada no setor da construção metálica, passou de um prejuízo de 43,6 milhões de euros em 2016 a um lucro de 6,5 milhões de euros em 2017, anunciou hoje o grupo.

No período de referência, o resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) subiu 5% para 8,5 milhões de euros.

Já os proveitos operacionais fixaram-se em 185,6 milhões de euros.

Por sua vez, a dívida líquida recuou 47 milhões de euros, em comparação com dezembro de 2016, para 189 milhões de euros.

De acordo com a Martifer, em 2017 o investimento foi de 2,8 milhões de euros, sendo que grande parte deste valor foi aplicada no desenvolvimento de projetos eólicos e solares na Europa Central e na América latina.

O total da carteira de encomendas situou-se em 303 milhões de euros, 63% dos quais na Europa Ocidental.

Como perspetivas futuras, o grupo aponta a “implementação de um novo modelo de governo”, no qual os acionistas de referência não têm funções executivas; a aprovação de um novo plano estratégico; o reforço do perfil exportador do grupo; a avaliação gradual de oportunidades de diversificação e a consolidação do investimento na formação, conhecimento e inovação.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
António Ramalho (Novo Banco), Luís Pereira Coutinho (Banco Postal), Nuno Amado (BCP) e António Vieira Monteiro (Santander Totta). Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Transferências bancárias imediatas sim, mas com custos

Fotografia: Leonardo Negrão / Global Imagens

Lesados do Banif pedem indemnização de 100 milhões a Portugal e a Bruxelas

As associações representativas dos taxistas marcaram para esta quarta-feira uma manifestação nacional contra a promulgação pelo Presidente da República do diploma que regula as plataformas electrónicas de transporte como a Uber, Cabify, Taxify e Chaffeur Privé. Manifestação de Lisboa.
Táxis junto à rotunda do Marquês de Pombal 
( Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens )

Plataformas de transportes ganham pouco com concentração dos taxistas

Outros conteúdos GMG
Martifer passa de prejuízo a lucro de 6,5 milhões em 2017