restauração

McDonald’s. Agora o seu Big Mac pode ser entregue em casa

Jorge Ferraz, McDonald's Portugal
Jorge Ferraz, McDonald's Portugal

McDelivery deverá chegar até ao final de 2018 ao Porto, Linhas de Sintra e Cascais, e Margem Sul envolvendo um total de 60 restaurantes

A McDonald’s já arrancou em Lisboa com o serviço de entregas ao domicílio em parceria com a UberEats, que inicia em Portugal a operação. No próximo ano querem alargar a outras zonas do país.

O McDelivery vai estar numa fase inicial apenas disponível numa zona circunscrita de Lisboa, abrangendo 14 restaurantes, mas até ao final do próximo ano a cadeia de restauração quer estender o serviço a outras zonas do país. “Até ao final de 2018 pretendemos alargar o serviço McDelivery a outras zonas de Lisboa, Porto e grande Porto, Linhas Sintra e Cascais e Margem Sul, numa operação que deverá envolver mais de 60 restaurantes”, adianta Jorge Ferraz, diretor-geral da McDonald’s Portugal, ao Dinheiro Vivo.

Nesta fase as entregas estão apenas circunscritas a uma certas zonas de Lisboa, envolvendo 14 restaurantes – Rossio, Chiado, D. Carlos I, Amoreiras, Rodrigo da Fonseca, Saldanha, Av. de Roma, Telheiras, Bela Vista, 2º Circular, Padre Cruz, Campo Grande, Zoo e Alvalade -, com as encomendas a serem feitas através da aplicação UberEats (disponível para sistemas iOS e Android), entre as 12h e as 24h.

Em média, um restaurante com McDelivery, pode incrementar as suas vendas até 3%”

“Criámos ofertas integradas a pensar também nas refeições em grupo ou em família”, diz Jorge Ferraz. “Naturalmente que a questão do transporte nos levou a criar uma oferta própria para o McDelivery”, acrescenta, sem mais detalhes.

Para arrancar com este serviço, a McDonald’s teve de efetuar alterações nos restaurantes que passam a oferecer entregas ao domicílio. Estes “vão ter uma área dedicada para a recolha do pedido pelo estafeta da UberEats”, diz Jorge Ferraz.

“O restaurante, tal como o cliente que fez o pedido, poderá acompanhar em tempo real o percurso e localização do estafeta através de dispositivos eletrónicos próprios. A par destas alterações foram realizados inúmeros estudos e testes até à fase de implementação, o que implica muito trabalho de uma vasta equipa. Para além desse investimento, o lançamento do McDelivery vai ser alvo de uma campanha integrada de comunicação”, acrescenta o diretor-geral da McDonald’s Portugal, sem revelar os valores investidos nesta aposta.

Ao nível das receitas, a cadeia antecipa um impacto positivo. “Perspetivamos que o McDelivery, nesta fase de arranque, tenha uma contribuição de 0,5% nas vendas destes 14 restaurantes. Pelos estudos que realizámos parece-nos que, em média, um restaurante com McDelivery, pode incrementar as suas vendas até 3%”, adianta o responsável.

Planos de expansão

Presente em mais de 20 mercados internacionais, como Estados Unidos, Austrália, Nova Zelândia, França, Alemanha, Reino Unido, Espanha envolvendo mais de 6 mil restaurantes, o McDelivery arranca em Portugal com o UberEats, serviço de entregas da Uber com quem a cadeia tem vindo a colaborar em diversos mercados, incluindo nos Estados Unidos. Mas a McDonald’s admite que em Portugal a expansão do McDelivery poderá ser feita com outro parceiro.

“Estou certo que através do McDelivery e da parceria com a UberEats vamos aumentar o nível de conveniência e personalização do nosso serviço ao consumidor, no entanto, a parceria com outros players está a ser também avaliada”, adianta Jorge Ferraz.

Em Portugal, a Uber ainda aguarda legislação que enquadre a atividade. Poderá ter um impacto negativo no serviço da cadeia? “O McDelivery é uma parceria com a UberEats. Trata-se de uma empresa com uma estrutura de negócio diferente da da Uber. Não temos conhecimento da existência de quaisquer problemas com a UberEats”, diz.

O concorrente Burger King, que desde dezembro de 2016 iniciou entregas em Lisboa (Alvalade e Campo de Ourique), anunciou este ano um agressivo plano de expansão: até 2020 vai investir 100 milhões de euros em mais 100 restaurantes, elevando para 180 o número de espaços no mercado nacional. Pesou na decisão?

“O lançamento do McDelivery é um processo natural de evolução da McDonald’s que já está a ser planeado há vários anos”, diz Jorge Ferraz. “Ouvimos os nossos consumidores, através de estudos que realizamos, de modo a correspondermos e adaptarmo-nos às suas necessidades e preferências. Sabemos que valorizam, cada vez mais, a comodidade e a conveniência do serviço”, refere.

O plano de expansão também não terá sido afetado com este anúncio do seu principal concorrente. “A McDonald’s Portugal continua o seu plano habitual de expansão, não só no crescimento no número de restaurantes como no alargamento de serviços. Em 2017 já abrimos 9 restaurantes [o nono abriu na segunda-feira, o McDonald’s Parque Atlântico] e estamos a concluir o processo de remodelação dos restaurantes para o novo sistema de funcionamento das cozinhas, assente num processo ao qual chamamos de plataforma integrada.

A cadeia tem neste momento 161 restaurantes, 6200 funcionários e 39 franquiados.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Presidente da BP Portugal, Pedro Oliveira.
(Jorge Amaral/Global Imagens)

Combustíveis. Portugal perde vendas até 430 milhões para Espanha

José Galamba de Oliveira, Presidente da Associação Portuguesa de Seguradores.
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Galamba de Oliveira: “É preciso um fundo para responder a grandes catástrofes”

trump-merkel_770x433_acf_cropped-1

Trump diz que UE, China e Rússia são inimigos dos EUA

Outros conteúdos GMG
McDonald’s. Agora o seu Big Mac pode ser entregue em casa