transportes

Medway põe mais 10 milhões de euros no novo terminal de Famalicão

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques (2-D), acompanhado pelo presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha (2-E), pelo presidente do Conselho de Administração da MEDWAY, Carlos Alberto Silva Pereira de Vasconcelos (E), e pelo presidente do Conselho de Administração da IP - Infraestruturas de Portugal, António Laranjo (C), durante a cerimónia da assinatura do protocolo para a construção do terminal ferroviário de mercadorias da Península Ibérica entre a MEDWAY, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e a IP - Infraestruturas de Portugal, em Vila Nova de Famalicão, 16 de janeiro de 2019. Este novo terminal ferroviário vai servir os portos de Leixões e Sines. HUGO DELGADO/LUSA
O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques (2-D), acompanhado pelo presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha (2-E), pelo presidente do Conselho de Administração da MEDWAY, Carlos Alberto Silva Pereira de Vasconcelos (E), e pelo presidente do Conselho de Administração da IP - Infraestruturas de Portugal, António Laranjo (C), durante a cerimónia da assinatura do protocolo para a construção do terminal ferroviário de mercadorias da Península Ibérica entre a MEDWAY, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e a IP - Infraestruturas de Portugal, em Vila Nova de Famalicão, 16 de janeiro de 2019. Este novo terminal ferroviário vai servir os portos de Leixões e Sines. HUGO DELGADO/LUSA

Empresa de transporte ferroviário de mercadorias vai investir 35 milhões de euros para construir o maior terminal da Península Ibérica.

A Medway apresentou esta quarta-feira o projeto de construção de um novo terminal seco, em Famalicão. Trata-se de um investimento superior a 35 milhões de euros, mais 10 milhões de euros do que inicialmente previsto pela empresa de transporte ferroviário de mercadorias, conforme revelou no início de novembro o presidente do conselho de administração, Carlos Vasconcelos, em entrevista ao Dinheiro Vivo.

Esta diferença de valores deve-se à identificação de “mais necessidades, nomeadamente ao nível do equipamento” para aquele que será o maior terminal de mercadorias da Península Ibérica, justificou fonte oficial da empresa ao Dinheiro Vivo.

O novo terminal ferroviário “irá servir os portos de Leixões e Sines e vem dar resposta à necessidade de aumentar a capacidade de movimentação de contentores no Norte do país”, salienta a empresa. Esta infraestrutura terá 200 000 metros quadrados, seis linhas de comboios de 750 metros e uma capacidade de parqueamento que corresponde a 10 000 contentores. A Medway prevê que sejam feitos mais de 500 000 movimentos por ano.

Famalicão foi o local escolhido para este novo terminal devido à proximidade de várias empresas deste concelho, considerado o maior exportador do Norte do país.

A construção do novo terminal irá iniciar-se depois da obtenção das licenças e deverá ficar pronto no início de 2020. O terminal de Famalicão vai criar mais de 100 postos de trabalho, diretos e indiretos.

A Medway, detida pela MSC, prepara-se para divulgar, nas próximas semanas, o novo plano de investimento da empresa de mercadorias. Em janeiro de 2019, completam-se três anos desde a assinatura da compra de 95% do capital da ex-CP Carga.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Greve de motoristas de matérias perigosas parou o país, em abril. 
(MÁRIO CRUZ/LUSA

Nova greve dos camionistas dia 12. Pré-aviso já foi entregue

Assunção Cristas e Bruno Bobone, na sede da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, nos Restauradores
(ANTÓNIO COTRIM/LUSA)

Cristas apela a empresários para darem mais força à oposição

Assunção Cristas e Bruno Bobone, na sede da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, nos Restauradores
(ANTÓNIO COTRIM/LUSA)

Cristas apela a empresários para darem mais força à oposição

Outros conteúdos GMG
Medway põe mais 10 milhões de euros no novo terminal de Famalicão