Telecomunicações

Meo notifica AdC da compra da comercializadora de energia PT Live

Alexandre Fonseca 
(Filipe Amorim / Global Imagens)
Alexandre Fonseca (Filipe Amorim / Global Imagens)

Aquisição é mais um passo na diversificação de negócios da Altice Portugal que, em julho, lançou oferta transversal de telecom e energia.

A Meo já notificou a Autoridade da Concorrência (AdC) da compra da totalidade do capital da PT Live, empresa comercializadora de eletricidade no mercado livre, com quem a operadora de telecomunicações lançou o serviço Meo Energia.

O Meo Energia, a primeira oferta integrada de serviços de telecomunicações e energia, foi conhecida em meados de julho, depois de um piloto lançado em piloto em finais de outubro passado, envolvendo o trabalho de cerca de 50 pessoas.

A oferta abrange o mercado nacional – exceto Madeira e Açores uma vez que o sector da eletricidade não está liberalizado nas regiões autónomas – e promete ser um tarifário “que poupa na carteira e no ambiente”, garantia Alexandre Fonseca, CEO da Altice Portugal.

“É um tarifário exclusivo para clientes com pacote Meo, que dá benefícios na convergência entre telecomunicações e energia”, disse ainda. O tarifário permite duplicar a net dos telemóveis dos clientes.

Na época o CEO da Altice admitia apenas uma parceria com a PT Live, adiantando, no entanto, que a companhia iria passar em breve a designar-se Meo Energia.

A companhia, entretanto, avançou para a compra da totalidade do capital da empresa, tendo a 23 de julho notificado a AdC de uma “operação de concentração” que “consiste na aquisição, pela MEO – Serviços de Comunicações e Multimédia, S.A. (“MEO”), do controlo exclusivo sobre a empresa PT LIVE – Comercialização de Energia, S.A. (“PT LIVE”).”

A operação, ainda em análise no regulador da concorrência, é mais um passo na estratégia de diversificação de áreas de negócio da Altice Portugal, depois da compra de 51% Blueticket, da aposta na área dos seguros (para equipamentos), dos serviços financeiros, do outsourcing com a entrada de uma nova operação em Portugal através da Intelcia.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Empresas com quebras de 25% vão poder pedir apoio à retoma

Balcão da ADSE na Praça de Londres em Lisboa.

( Jorge Amaral/Global Imagens )

ADSE quer 56 milhões do Orçamento do Estado por gastos com isentos

Fotografia: Miguel Pereira / Global Imagens

Quase 42 mil empresas recorreram a apoios que substituíram lay-off simplificado

Meo notifica AdC da compra da comercializadora de energia PT Live