Energia

Mercado de eletricidade ganha três novos operadores em três meses

Foto: DR
Foto: DR

O mercado liberalizado já conta com 21 fornecedores, de acordo com a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

A concorrência no mercado liberalizado de eletricidade aumentou com a entrada de três novos comercializadores nos últimos três meses, que já conta com 21 fornecedores, de acordo com a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Em maio, entrou em mercado a Lualuz (Voltagequation), em abril foi a Elergone e em março a Logica Energy.

Ainda assim, em maio, a EDP Comercial manteve a sua posição como o principal operador no mercado livre em número de clientes (85% do total de clientes) e em consumos (cerca de 45% dos fornecimentos no mercado livre), tendo mantido a sua quota em número de clientes e aumentado ligeiramente em consumo face ao mês de abril.

O mercado livre de eletricidade atingiu mais de 4,5 milhões de clientes em maio, com um crescimento líquido de mais de 31,5 mil clientes, o que representa um crescimento 12% face ao homólogo.

De acordo com a síntese mensal da ERSE, o consumo dos clientes em mercado liberalizado representa já quase 91% do consumo total registado em Portugal continental.

Em termos de intensidade de ‘switching’ (mudança de fornecedor), o número de clientes que deixa o mercado regulado para integrar um comercializador em mercado continua a ser inferior ao número de consumidores que troca de comercializador já em regime de mercado, o que demonstra a tendência crescente de mudanças de comercializador no quadro do mercado livre.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
boris johnson brexit

Brexit: Um acordo que responde “às circunstâncias únicas da Irlanda”

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Outros conteúdos GMG
Mercado de eletricidade ganha três novos operadores em três meses