Retalho Alimentar

Mercadona abre portas de nova loja no Norte a 26 de setembro

(DR)
(DR)

Até ao final do ano, a cadeia espanhola contará ter cerca de mil funcionários a trabalhar em lojas em Portugal.

Em setembro a Mercadona regressa às aberturas de loja. Depois de, em julho, ter inaugurado quatro espaços no distrito do Porto (em Vila Nova de Gaia, Matosinhos, Maia e Gondomar), em setembro estreia-se no distrito de Braga, com a abertura de uma loja em Barcelos a 26 de setembro.

A partir de hoje e até dia 6, a Mercadona estará a realizar sessões de apresentação do novo espaço à comunidade. Como tem sido hábito da política da empresa, estas apresentações de uma hora, acontecem duas vezes por dia para cerca de uma centena de participantes e pretendem mostrar aos vizinhos do supermercado o que vão poder encontrar na futura loja.

Para além de Barcelos, a Mercadona tem ainda mais cinco aberturas previstas até ao final do ano: Porto, Aveiro, Braga (zona de Lamaçães, ao lado da Leroy Merlin), Penafiel e São João da Madeira. Por essa altura, contará com cerca de mil funcionários em todo o país. A expansão para o resto do país irá ser gradual, sendo que a chegada a Lisboa só está prevista para 2021. A empresa pretende ter entre 150 a 200 lojas em Portugal nos próximos sete a oito anos.

De acordo com um estudo recente da Markest Consulting, desde que a cadeia espanhola anunciou, há três anos, a entrada em Portugal, nasceram 317 supermercados, elevando para 2820, até ao final do ano passado, o número de lojas de retalho alimentar no país.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O presidente do Novo Banco, António Ramalho, discursa na cerimónia de lançamento do Projeto de Divulgação Cultural do Novo Banco. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Banca custou ao Estado mais 1,5 mil milhões de euros em 2019, agora ajude

coronavirus portugal antonio costa

Proibidos ajuntamentos com mais de cinco pessoas. Aeroportos encerrados

O primeiro-ministro, António Costa, fala aos jornalistas no final da reunião do Conselho de Ministros após a Assembleia da República ter aprovado o decreto do Presidente da República que prolonga o estado de emergência até ao final do dia 17 de abril para combater a pandemia da covid-19, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 2 de abril de 2020. 
 MÁRIO CRUZ/POOL/LUSA

Mapa de férias pode ser aprovado e afixado mais tarde do que o habitual

Mercadona abre portas de nova loja no Norte a 26 de setembro