Retalho Alimentar

Mercadona abre portas de nova loja no Norte a 26 de setembro

(DR)
(DR)

Até ao final do ano, a cadeia espanhola contará ter cerca de mil funcionários a trabalhar em lojas em Portugal.

Em setembro a Mercadona regressa às aberturas de loja. Depois de, em julho, ter inaugurado quatro espaços no distrito do Porto (em Vila Nova de Gaia, Matosinhos, Maia e Gondomar), em setembro estreia-se no distrito de Braga, com a abertura de uma loja em Barcelos a 26 de setembro.

A partir de hoje e até dia 6, a Mercadona estará a realizar sessões de apresentação do novo espaço à comunidade. Como tem sido hábito da política da empresa, estas apresentações de uma hora, acontecem duas vezes por dia para cerca de uma centena de participantes e pretendem mostrar aos vizinhos do supermercado o que vão poder encontrar na futura loja.

Para além de Barcelos, a Mercadona tem ainda mais cinco aberturas previstas até ao final do ano: Porto, Aveiro, Braga (zona de Lamaçães, ao lado da Leroy Merlin), Penafiel e São João da Madeira. Por essa altura, contará com cerca de mil funcionários em todo o país. A expansão para o resto do país irá ser gradual, sendo que a chegada a Lisboa só está prevista para 2021. A empresa pretende ter entre 150 a 200 lojas em Portugal nos próximos sete a oito anos.

De acordo com um estudo recente da Markest Consulting, desde que a cadeia espanhola anunciou, há três anos, a entrada em Portugal, nasceram 317 supermercados, elevando para 2820, até ao final do ano passado, o número de lojas de retalho alimentar no país.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
President of the European Commission Ursula von der Leyen (L) and President of the European Council Charles Michel give a press conference during the second day of a special European Council summit in Brussels on February 21, 2020, held to discuss the next long-term budget of the European Union (EU). (Photo by kenzo tribouillard / AFP)

Conselho Europeu termina em Bruxelas sem acordo

Diretor-geral da fábrica da PSA Mangualde, José Maria Castro, fotografado na linha de montagem. (Fernando Fontes / Global Imagens )

Futuro da PSA Mangualde depende de apoio do Governo a projeto de 18 milhões

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, discursa durante o almoço-debate "Os Desafios da Ferrovia: Infraestrutura, Serviços e Indústria", organizado pelo International Club of Portugal num hotel de Lisboa, 21 de fevereiro de 2020. TIAGO PETINGA/LUSA

Prejuízo da TAP “não foi um desvio qualquer” e já devia ter tido lucro

Mercadona abre portas de nova loja no Norte a 26 de setembro