Retalho Alimentar

Mercadona compra 88 milhões a fornecedores portugueses

Foto: DR
Foto: DR

Compras ultrapassaram estimativa de 70 milhões da cadeia espanhola de supermercados, num momento em que se prepara para abrir lojas no país

A Mercadona comprou, no ano passado, 88 milhões de euros a fornecedores portugueses. Vinho, queijos e pão de deus são alguns dos produtos que ajudam à subida de 39,7% no volume de compras, num momento em que a cadeia de retalho espanhola se prepara para abrir em julho os primeiros quatro supermercados no norte de Portugal. Em 2019 “esperamos continuar a crescer (o volume de compras), uma vez que já teremos lojas abertas”, afirma Patrícia Cotrim, diretora do setor primário e consumidores Portugal da Mercadona.

As lojas em Vila Nova de Gaia, Matosinhos, Maia e Gondomar são as primeiras Mercadona a abrir, já em julho, confirmou a empresa ao Dinheiro Vivo, sendo que ao longo do segundo semestre vão inaugurar a totalidade das dez lojas previstas para 2019 nos distritos de Braga, Porto e Aveiro, aposta que representa um investimento de cem milhões de euros no mercado nacional.

Peixe, quivis, pera-rocha, azeite e óleos variados, carne de coelho, bacalhau congelado, curgete e pastelaria como pão-de-ló são alguns dos produtos que contribuíram para os 88 milhões de compras aos fornecedores nacionais. Um valor que não só representa uma subida de cerca de 40% face a 2017 como supera as estimativas da companhia que apontava fechar o ano com compras na ordem dos 70 milhões.

“O setor primário, em especial da pesca e agrícola, justificam significativamente este valor de compras a fornecedores portugueses, pois atualmente contamos com peixe português em muitas lojas em Espanha e também com quivis, tomate e pera-rocha nacionais, entre outros produtos”, diz Patrícia Cotrim. No ano passado, a cadeia espanhola comprou 289 toneladas de peixes nas lotas portuguesas, tendo ainda adquirido 2500 toneladas de quivis à Kiwi Greensun. “Em destaque está o setor industrial, ao qual compramos produtos de pastelaria e açúcar refinado.”
Queijos dos Açores e vinhos (tinto e branco do Douro e Dão e verde do Minho) são alguns dos novos produtos made in Portugal que a cadeia começou a vender no ano passado nas lojas de fronteira. “E com o aproximar da data de abertura das primeiras lojas [em Portugal] somam-se cada vez mais. Produtos de pastelaria, como o pão de deus, produzido pela pastelaria e confeitaria Rolo , e pão-de-ló, da Confeitaria Alvorada, que estão a ter uma grande aceitação por parte dos nossos clientes em Espanha.”

No centro de inovação em Matosinhos, a Mercadona está a testar o sortido que vai colocar nos supermercados que se prepara para abrir em Portugal para ir ao encontro dos gostos do consumidor português. “Ainda não temos o sortido fechado na sua totalidade, no entanto, acreditamos que muitos dos produtos terão origem portuguesa.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Foto: DR

IMI baixa para mais de 24 mil famílias que pediram reavaliação

António Costa Silva, presidente do frupo Partex. 
(Nuno Pinto Fernandes / Global Imagens)

Huawei: “Portugal não tem a receber lições de moral”, diz presidente da Partex

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Mercadona compra 88 milhões a fornecedores portugueses