Automóvel

Mercedes com dificuldades em contratar programadores em Portugal

Fotografia: EPA/EUGENE GARCIA
Fotografia: EPA/EUGENE GARCIA

Até agora, mais de 30 programadores estão a colaborar com a marca alemã.

A Mercedes está com dificuldades em contratar programadores para o seu centro digital (Mercedes-Benz.io) em território português. A situação foi admitida esta segunda-feira por Niels Kowollik, CEO e Administrador Executivo da Mercedes Portugal. O recrutamento de programadores estrangeiros tem sido a estratégia utilizada para superar este obstáculo.

“O mercado de programadores muito bons é muito difícil também em Portugal. Não há tanta mão-de- obra qualificada disponível quanto gostaríamos. Estamos mesmo a recrutar no estrangeiro”, assumiu Niels Kowollik em conferência de imprensa realizada em Lisboa.

A marca alemã inaugurou em maio o centro tecnológico Digital Delivery Hub em território português, agora designado como Mercedez-Benz.io. Na altura, anunciou que iria contratar mais de 100 programadores em 2017. Esse recrutamento foi adiado para 2018 devido a estas dificuldades.

Provisoriamente instalado no Second Home, o centro tecnológico da Mercedes em Portugal fornece soluções tecnológicas para todo o mundo, à exceção da China e dos EUA. Até agora, mais de 30 programadores estão a colaborar com a marca alemã. Se este for bem-sucedido, poderá dar emprego a mais de 300 pessoas e estender-se a outras áreas, como os veículos pesados.

A criação de aplicações ligadas aos automóveis da marca alemã e o desenvolvimento de tecnologias para a condução autónoma são dois dos exemplos das tarefas que estão a ser realizadas a partir de Lisboa. A aplicação que permitir chamar um automóvel poderá ser criada a partir da capital portuguesa.

A Mercedes foi a quarta marca que vendeu mais automóveis em 2017 em Portugal. Foram comercializadas 16 273 unidades, um crescimento de 6,3% face a 2016.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: D.R.

Julho só com mais 390 desempregados oficiais, mas 44 mil novos inscritos no IEFP

António Ramalho, CEO do Novo Banco. Fotografia: Tiago Petinga/Lusa

Novo Banco vendeu seguradora com desconto de 70% ‘coberto’ pela ajuda do Estado

Fotografia: D.R.

Novo Banco. GNB teve idoneidade verificada pelo regulador

Mercedes com dificuldades em contratar programadores em Portugal