Automóvel

Merkel chama marcas alemãs para salvar motor a gasóleo

Fotografia: REUTERS/Hannibal Hanschke/File Photo
Fotografia: REUTERS/Hannibal Hanschke/File Photo

Indústria automóvel é responsável por 800 mil postos de trabalho na economia alemã

Está agendada para esta quarta-feira, 2 de agosto, uma cimeira entre vários ministros e os líderes dos grupos Volkswagen, Daimler e BMW. O Governo de Angela Merkel quer perceber de que modo será possível salvar o motor a gasóleo e a indústria automóvel, que é responsável por 800 mil empregos só na Alemanha.

O Governo procura encontrar um ponto de equilíbrio entre as posições das marcas e do próprio executivo. As empresas automóveis precisam do diesel para ganhar tempo na resposta ao aumento das ofertas de carros elétricos de marcas como Tesla, Nissan e Renault; o Governo de Angela Merkel procura responder às acusações de estar a ser demasiado perdulário junto destas empresas.

“As fabricantes vão desempenhar o seu papel na melhoria da qualidade do ar nas cidades e tornar o diesel pronto para o futuro. É extremamente importante para a proteção do clima e para o crescimento da Alemanha”, sustenta Matthias Wissmann, líder do lobby automóvel VDA, em declarações à Bloomberg. Wissmann propõe uma redução das emissões de óxido de azoto, em média, de pelo menos 25%.

A reunião surge poucas semanas depois de a Daimler, dona da Mercedes, e o grupo Volkswagen terem anunciado, ao todo a recolha voluntária de perto de quatro milhões de automóveis a gasóleo para uma atualização do software.

Este procedimento foi anunciado na sequência de uma investigação à Audi pela autoridade alemã para o automóvel (KBA, na sigla original).

No caso da Mercedes, o processo foi anunciado depois de uma investigação levada a cabo pelo jornal Süddeutsche Zeitung e com as emissoras de televisão NDR e WDR ter adiantado que a marca de Estugarda terá, durante quase uma década, entre 2008 e 2016, vendido nos Estados Unidos e na Europa carros com nível de emissões de gases poluentes elevado e não autorizado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Estado abdica de 10,8 mil milhões de receita fiscal

casas-do-airbnb_16b

Casa deixa de contar para o IRS quando se muda o crédito de banco

Fotografia: Nacho Doce/Reuters

Oi. “Centenas” de obrigacionistas portugueses não conseguiram fechar acordo

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Merkel chama marcas alemãs para salvar motor a gasóleo