transportes

Metro de Lisboa: “No próximo Inverno, já vamos ter um metro como deve ser”

Metro de Lisboa. (Orlando Almeida / Global Imagens)
Metro de Lisboa. (Orlando Almeida / Global Imagens)

Comboios da empresa deverão estar todos reparados até ao final do ano. Novas unidades só deverão chegar em 2023.

O Metro de Lisboa só deverá voltar à normalidade no final do ano. É nesta altura que Vítor Domingues dos Santos, presidente da empresa que gere o metropolitano da capital, espera ter todo o material circulante reparado. O reforço da frota só deverá ocorrer em 2023 e as obras na estação de Arroios poderão ficar concluídas depois do prazo.

“Esperamos no fim de julho ter quase a 100% o material circulante, ou seja, passar a ter apenas 15 unidades (triplas) encostadas, pouco mais de 10%, o que já nos permite dar resposta ao serviço público. Esperamos nos horários de inverno já estar em plena capacidade. O problema agora é de material circulante. No próximo inverno, já vamos ter um metro como deve ser”, refere Vítor Domingues dos Santos em entrevista publicada esta segunda-feira pelo Jornal de Negócios.

O reforço da frota, no entanto, só deverá acontecer em 2023. Apesar de em julho abrir o concurso para a compra de novos comboios, só deverão chegar daqui a dois ou três anos e que terá um investimento de 110 milhões de euros, refere Vítor Domingues dos Santos. “Como vamos compaginar no tempo com a criação da linha circular, que terminará em 2023, acho que os lisboetas vão começar a sentir o impacto do novo material circulante e da nova sinalização em 2023”, refere na mesma entrevista.

Sobre as obras de ampliação da estação de Arroios, que deverão ficar concluídas no início de 2019, o líder da empresa Metro de Lisboa não se compromete com uma data de reabertura. “É uma obra muito complexa. Há uns ligeiros atrasos, mas que são normais das empreitadas”, justifica.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Vieira da Silva, ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social.  Foto: Tiago Petinga/LUSA

Governo aprova aumento extraordinário para 1,6 milhões de pensionistas

Mário Centeno com Pierre Moscovici, comissário europeu da Economia. Fotografia: REUTERS/François Lenoir

Bruxelas quer despesa a travar a fundo no orçamento de 2019

Fotografia: Igor Martins / Global Imagens

Valor médio das pensões da CGA subiu 77 euros em 2017

Outros conteúdos GMG
Metro de Lisboa: “No próximo Inverno, já vamos ter um metro como deve ser”