Metro de Lisboa: Obras para linha circular prontas para começar na quarta

Estação da Estrela será construída no antigo Hospital Militar. Metro de Lisboa assina auto de consignação com construtora Zagope para execução do lote um das obras de expansão.

As obras para a linha circular do Metro de Lisboa podem começar a partir desta quarta-feira, 14 de abril. A transportadora vai assinar, amanhã, o auto de consignação com a construtora Zagope para o início dos trabalhos de expansão do metropolitano da capital, segundo o anúncio feito esta terça-feira em nota de imprensa.

A Zagope ficará responsável pelo lote um de expansão do Metro de Lisboa. Esta etapa corresponde à execução dos toscos entre o término da estação do Rato e a nova estação de Santos. Entre Rato e Santos irá nascer a nova estação da Estrela, que ficará localizada no antigo Hospital Militar, onde será assinado o auto de consignação.

O contrato será assinado mais de nove meses depois do início das sondagens na Estrela. Este procedimento técnico e de diagnóstico antecipou o início dos trabalhos no terreno.

As obras de expansão do Metro de Lisboa incluem mais duas etapas: no lote dois, será feita a ligação entre a nova estação de Santos e o final da atual estação do Cais do Sodré; no lote três, serão construídos os viadutos sobre a Rua Cipriano Dourado e sobre a Av. Padre Cruz, na zona do Campo Grande, prevendo a ampliação da estação do Campo Grande para Nascente.

A construção do lote dois ficará a cargo do consórcio constituído pela Mota Engil, Engenharia e Construção, SA e Spie Batignolles International, Sucursal em Portugal; o lote três será da responsabilidade das agrupadas Teixeira Duarte, Engenharia e Construções, S.A. / SOMAFEL, Engenharia e Obras Ferroviárias, SA.

Esta ampliação do Metro de Lisboa irá custar 210,2 milhões de euros, com financiamento europeu de 83 milhões de euros - o restante montante será assegurado pelo Fundo Ambiental.

Os trabalhos para a expansão do Metro de Lisboa apenas ficarão concluídos entre o final de 2023 e o início de 2024, ou seja, com dois anos de atraso. O projeto da linha circular foi anunciado em maio de 2017 e na altura estava previsto que a obra ficasse concluída até ao final de 2021.

A expansão deste metropolitano será acompanhada por um reforço da oferta. A partir do final de 2022 começarão a chegar as 14 novas unidades triplas e um novo sistema de sinalização ferroviária, por 114,5 milhões de euros e que será fornecido pelo consórcio Stadler/Siemens Mobility.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de