transportes

Metro de Lisboa: Quatro interessados para venda de comboios

Metro de Lisboa. (Fotografia: PAULO SPRANGER/Global Imagens)
Metro de Lisboa. (Fotografia: PAULO SPRANGER/Global Imagens)

Três consórcios e um concorrente isolado querem participar no processo para venda de 14 novas unidades triplas. Adjudicação será feita até julho.

Há quatro empresas interessadas em vender novos comboios para o Metro de Lisboa. Três consórcios e um concorrente isolado já foram qualificados para participar no concurso lançado em 2018 para a compra de 14 novas unidades triplas (que correspondem a sete comboios) e que deverão chegar até 2025. O concurso, que inclui um novo sistema de sinalização, tem um valor base de 127 milhões de euros.

Os três consórcios são entre os chineses da CRRC Tangshan e a Thales Portugal; entre os espanhóis da CAF e a Bombardier European Investments; entre os suíços da Stadler e a unidade de mobilidade da Siemens. Os franceses da Alstom concorrem isoladamente, escreve esta segunda-feira o Jornal de Negócios.

As despesas com a compra do novo material circulante e da sinalização serão suportadas pelo Fundo Ambiental. Este investimento será necessário para ajudar o plano de expansão do Metro de Lisboa, que terá duas novas estações, em Santos e Estrela, em 2023.

Leia mais: Metro de Lisboa: Novas estações vão abrir com mais de um ano de atraso

Mais cedo, até 29 de abril, serão entregues as propostas para a compra de 18 novas composições para o Metro do Porto. Este concurso tem um preço base fixado de 56,1 milhões de euros, que inclui o fornecimento do material e a sua manutenção por cinco anos. O novo material circulante será necessário para a nova Linha Rosa e a expansão da Linha Amarela até Vila D’Este.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Foto: Leonel de Castro/Global Imagens

Famílias com 12 meses para pagarem rendas do estado de emergência

Antonoaldo Neves, presidente executivo da TAP. Fotografia: Adelino Meireles/Global Imagens

TAP também vai avançar com pedido de layoff

EPA/MIGUEL FIGUEIREDO LOPES

Mais de 90% querem ver estado de emergência prolongado

Metro de Lisboa: Quatro interessados para venda de comboios