transportes

Metro de Lisboa: Reclamações atrasam linha circular para 2024

Passageiros no metro de Lisboa, Portugal. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante
Passageiros no metro de Lisboa, Portugal. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante Metro de Lisboa, Transportes, metropolitano

Prazo para entregar propostas passa a ser até 30 de novembro. Abertura da linha circular deverá acumular atraso de três anos.

A prorrogação do prazo de entrega de propostas no concurso de prolongamento de duas linhas do metro de Lisboa irá adiar a abertura das mesmas ao público. Já só deverá acontecer em 2024.

Dez agrupamentos manifestaram interesse em concorrer à obra que irá prolongar a linha Verde e Amarela, criando uma circular. Isto é, haverá ligação entre Rato-Santos e Santos-Cais do Sodré, que implica a construção de 1956 metros de túnel e duas novas estações em Santos e na Estrela.

Segundo o Jornal de Negócios desta segunda-feira, citando fonte do Metropolitano de Lisboa, a prorrogação até 30 de novembro (era até 11 de agosto) foi decidida devido a “desenvolvimentos associados à fase de qualificação dos candidatos e da apresentação de reclamação/impugnação à decisão de qualificação por parte dos interessados”. Desta forma, o júri poderá concluir a análise da documentação que foi apresentada pelos candidatos.

O Metropolitano de Lisboa chegou a assumir a intenção de em abril arrancar a fase de apresentação de propostas, para que as obras pudesse começar em outubro deste ano. João Pedro Matos Fernandes, ministro do Ambiente e da Transição Energética, apontou a possibilidade das obras arrancarem no último trimestre e que em finais de 2022 ou no início de 2023 a linha circular estivesse aberta.

Este prolongamento do metro da capital irá custar 210 milhões de euros, com 127 milhões a serem financiados pelo Fundo Ambiental e 83 milhões pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos.

Novo adiamento

O projeto da linha circular foi anunciado em maio de 2017 e na altura estava previsto que a obra ficasse concluída até ao final de 2021. Com o início das obras atrasado para 2020, este é o segundo adiamento nesta obra em menos de um ano.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
EPA/MICHAEL REYNOLDS

Ação climática. Portugal vai ter de gastar mais de um bilião de euros

Quartel da Graça, em Lisboa. (Fotografia: D.R.)

Revive: Sete hoteleiros na corrida para transformar o Quartel da Graça

Thomas Cook era a agência turística mais antiga do mundo. ( EPA/ARMANDO BABANI)

Thomas Cook declarou falência. 600 mil turistas procuram solução

Outros conteúdos GMG
Metro de Lisboa: Reclamações atrasam linha circular para 2024